segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Atividades para estudos

CONCORDÂNCIA NOMINAL

As palavras da língua portuguesa são distribuídas em dez classes:

Variáveis Invariáveis
Determinado 1. Substantivo 7. Advérbio
2. Artigo 8. Preposição
3. Adjetivo 9. Conjunção
Determinantes 4. Numeral 10. Interjeição
5. Pronome
6. Verbo

As seis primeiras são variáveis, isto é, sofrem modificações em suas terminações para indicar gênero (masculino ou feminino), número (singular ou plural), etc.; as quatro últimas são invariáveis.

Definição de substantivo: Substantivo é a palavra que pode ser determinada pelo artigo.

O substantivo é determinado basicamente pelo artigo (definido ou indefinido), pelo numeral (ordinal ou cardinal), pelo pronome e pelo adjetivo ou por locuções ou orações adjetivas.

O estudo das modificações que as palavras e expressões acima sofrem (ou não) para se adequarem ao substantivo que determinam integra o tópico concordância nominal, presente nas gramáticas tradicionais.

Observe os seis exemplos abaixo:

1. Quem casa quer ( ) casa. (O substantivo "casa" ocorre sem determinantes.)
2. A casa tem dois andares. (O substantivo "casa" é determinado pelo artigo definido.)
3. Casa nova, vida nova. (O substantivo "casa" é determinado pelo adjetivo "nova".)
4. A rua eram só dez casas de um lado e dez do outro. (O substantivo "casas" é determinado pelo numeral "dez".)
5. Aquela casa foi demolida. (O substantivo "casa" vem determinado pelo pronome demonstrativo.)
6. A casa que ele comprou não tinha garagem. (O substantivo "casa" é determinado simuItaneamente pelo artigo definido e pela oração subordinada adjetiva restritiva "que ele comprou".)

O artigo
Concordância: O artigo, definido ou indefinido, concorda em gênero e número com o substantivo a que se refere.
Ex.: o( ) prédio( ) um( ) prédio( ) a( ) casa(a) uma( ) casa( )
os prédios uns prédios as casas umas casas

Posição: O artigo tem posição fixa em relação ao substantivo a que se refere; é sempre anteposto.
Ex.: a casa mas não *casa a

O numeral
Concordância: Desde que anteposto ao substantivo, o numeral cardinal concorda em gênero até dois e, nas centenas, de duzentos a novecentos, indicando quantidade.
Ex.: um garfo dois garfos duzentos garfos
uma colher duas colheres duzentas colheres

Posição: Anteposto ou posposto ao substantivo a que se refere. No segundo caso, o numeral cardinal indicará posição numa série e permanecerá invariável.
Ex.: um livro (quantidade/concorda)
livro um (posição/não concorda) = primeiro livro
duzentas páginas (quantidade/concorda)
página duzentos (posição/não concorda) = ducentésima página

O numeral ordinal ocorre quase sempre anteposto ao substantivo, mas pode ocorrer também (com implicações estilísticas) em posposição. Em ambos os casos indica posição numa série e concorda em gênero e número.
Ex.: capítulo primeiro página segunda
primeiro capítulo segunda página

O adjetivo
Concordância: A maioria dos adjetivos concorda em gênero e número com o substantivo a que se referem.
Ex.: casa nova X prédio novo casas novas X prédios novos

Alguns adjetivos só concordam em número.
Ex.: água quente X café quente bebidas quentes X líquidos quentes

Alguns adjetivos não concordam; são invariáveis.
Ex.: caderno grátis apostila grátis
cadernos grátis apostiIas grátis

Posição: A anteposição e a posposição são possíveis. Com relação à posposição, é de observar que o adjetivo pode determinar o substantivo diretamente (nesse caso, exercerá a função sintática de adjunto adnominal) ou indiretamente, com a mediação de um verbo de ligação. Nessa última situação, exercerá a função sintática de predicativo e apresentará fenômenos de concordância diferentes dos que apresenta quando adjunto adnominal, como veremos posteriormente.
Ex.: A nova casa. (Imediatamente anteposto: Adjunto adnominal)
A casa nova. (imediatamente posposto: Adjunto adnominal)
A casa é nova. (Posposto com a mediação de um verbo de ligação; Predicativo)

Em alguns casos, a mudança de posição do adjetivo muda-lhe também o sentido. De um modo geral, a anteposição enfatiza o adjetivo e dá-lhe colorações subjetivas. Posposto, predomina o tom objetivo. Mas isso é apenas uma tendência e não regra geral. O falante nativo tem de contar com seu sentimento da língua para detectar as nuances estilísticas oriundas da colocação do adjetivo para poder optar por sua anteposição ou posposição.
Ex.: a) O novo carro. (Anteposto: significa apenas carro recém-lançado.)
b) O carro novo. (Posposto: pode significar carro em bom estado de conservação ou recém-lançado.)
c) O carro é novo. (Posposto: significa o mesmo que em “b”.)

Nota: Nos casos “a” e “b”, o adjetivo desempenha a função de adjunto adnominal; no caso “c”, é predicativo do sujeito.

O pronome
Concordância: Dentre as seis classes de pronomes (demonstrativos, relativos, pessoais, indefinidos, possessivos e interrogativos), apenas os pessoais não podem determinar os substantivos. A concordância desses pronomes é como no caso dos adjetivos. Aliás, pronomes que determinam substantivos são chamados "pronomes adjetivos"; pronomes que substituem o SN são “pronomes substantivos”. Em tempo: nem todos os pronomes das outras classes atuam como determinantes do substantivo.
Ex.: Demonstrativos: esta casa este prédio
estas casas estes prédios

Relativos: a casa cujo dono a casa cuja dona
a casa cujos donos a casa cujas donas

Indefinidos: alguma casa aIgum imóvel
algumas casas alguns imóveis

Possessivos minha casa meu apartamento
minhas casas meus apartamentos

Interrogativos: São quatro: que, quem, qual e quanto. Os dois primeiros são invariáveis. O pronome qual concorda apenas em número; o pronome quanto concorda em gênero e número.
Qual casa? Qual prédio?
Quais casas? Quais prédios?

Quanta água? Quanto café?
Quantas pessoas? Quantos convidados?

Posição: Dos pronomes acima apresentados, apenas o relativo "cujo" e os interrogativos têm posição fixa; são sempre antepostos ao substantivo que determinam* Os demais podem ocorrer em anteposição ou posposição, porém, como no caso dos adjetivos, com mudança de sentido.
Ex.: Demonstrativos: esta casa casa esta
lndefinidos: alguma casa casa aIguma
Possessivos: minha casa casa minha

As locuções adjetivas e as orações adjetivas
São invariáveis e ocorrem sempre em posposição ao substantivo.
Ex.: casa (ou casas, ou prédio ou prédios) de mármore
casa (ou casas, ou prédio ou prédios) em que morei


1. O ADJETIVO EM FUNÇÃO DE ADJUNTO ADNOMINAL
1.1. Quando se refere a um único substantivo no singular ou no plural, determinado por uma único adjetivo:
O adjetivo pode concordar em gênero e número, independentemente de sua posição.
Ex.: O novo equipamento ainda não foi instalado. (ou)
O equipamento novo ainda não foi instalado.
Os novos equipamentos ainda não foi instalado. (ou)
Os equipamentos novos ainda não foi instalado.

1.2. Quando dois ou mais adjetivos se referem a um único substantivo:
Se o substantivo for determinado distributivamente por mais de um adjetivo, duas construções são possíveis:
a) Substantivo no plural e adjetivos no singular, ligados pela conjunção aditiva “e”.
Ex.: Os sistemas inglês e americano.
Os setores têxtil e metalúrgico da indústria.

b) Substantivo no singular no primeiro SN e adjetivos também no singular, sendo que, no(s) outro(s) SN(s), não se repete o substantivo.
Ex.: O sistema ingIês e o ( ) americano.
O legislativo federal, o ( ) estadual e o ( ) municipal, isto é, o legislativo federal, o legislativo estadual e o legislativo municipal,

1.2 Quando se refere a dois ou mais substantivos e é posposto:

1.2.1 Se todos os substantivos são masculinos:
Nesse caso, o adjetivo ficará no masculino plural (concordância Iógica ou gramatical) ou então concordará apenas com o substantivo mais próximo (concordância por atração).
Ex.: Comprei um computador e um DVD caríssimos. (ou)
Comprei um computador e um DVD caríssimo.

1.2.2 Se todos os substantivos são femininos:
O adjetivo ficará no feminino e concordará em número, como no caso anterior.
Ex.: Vi uma TV e uma impressora fantásticas. (ou)
Vi uma TV e uma impressora fantástica.

1.2.3 Se os substantivos são de gêneros diferentes:
O adjetivo ficará no masculino plural ou concordará em gênero e número apenas com o substantivo mais próximo.
Ex.: Vi um computador e uma impressora fantásticos. (ou)
Vi um computador e uma impressora fantástica. (ou)
Vi uma impressora e um computador fantástico.
Nota: Em todos esses casos, a concordância apenas com o substantivo mais próximo, embora correta, sugere que o adjetivo só se refere a esse último. A concordância depende, portanto, do que se prentenda dizer.

1.3. Quando se refere a dois ou mais substantivos e é anteposto:
1.3.1 Se anteposto a nomes próprios, títulos ou palavras indicadoras de parentesco:
O adjetivo irá para o plural.
Ex.: Os novos Presidente e Vice-presidente já foram empossados.
Os famigerados Fernandinho Beira-Mar e Escadinha fugiram inúmeras vezes.
Os excelentes Fernanda Montenegro e Wagner Moura se apresentam amanhã no Palácio das Artes.
Queridos Papai e Mamãe, ...

1.3.2 Em outras situações, o adjetivo anteposto a dois ou mais substantivos concordará com o mais próximo.
Ex.: Você escolheu má hora e lugar para o nosso encontro.
Você escolheu mau lugar e hora para o nosso encontro.

1.4 Quatro casos em que o adjetivo concorda obrigatoriamente apenas com o substantivo mais próximo:

1.4.1 Quando vier anteposto e não se referir a nomes próprios, títulos ou relações de parentesco:
Ex.: Modernos viadutos e pontes.
Modernas pontes e viadutos.

1.4.2 Quando só se referir ao substantivo mais próximo:
Ex.: Ganhei um queijo e uma queijeira acrílica.

1.4.3 Quando os substantivos forem sinônimos:
Ex.: Com reconhecimento e gratidão profunda.
Com gratidão e reconhecimento profundo.

1.4.4 Quando os substantivos estiverem em gradação:
Ex.: Esta rua, a cidade, o Estado, a Nação brasileira chorou a morte de Tancredo Neves.


2. O ADJETIVO EM FUNÇÃO PREDICATIVA

2.1 Predicativo do sujeito.
O adjetivo com função de predicativo do sujeito concorda com este em gênero e número, acompanhando a concordância do verbo.
Ex.: O hoteI e a cidade eram tranquilos.
Eram tranquilos a cidade e o hotel.
Era tranquilo o hotel e a cidade.
Era tranquila a cidade e o hotel.

2.2 Predicativo do objeto.
O adjetivo com função de predicativo do objeto concordará em gênero e número com os núcleos do objeto. Se estes forem de gêneros diferentes, o adjetivo predicativo ficará no masculino plural.
Ex.: A Fiesp considera o protesto e o trabalho da CUT positivos.
A Fiesp considera a reivindicação e a atuação da CUT positivas.
A Fiesp considera o trabalho e a reivindicação da CUT positivos.
A Fiesp considera positivos o trabalho e a reivindicação da CUT.

Nota: O adjetivo predicativo anteposto aos núcleos do objeto ou do sujeito pode também concordar apenas com o mais próximo.
Ex.: A Fiesp considera positiva a reivindicação e o trabalho da CUT.

2.3 O adjetivo predicativo só exibirá marcas de concordância se o(s) núcleo(s) do sujeito ou objeto estiver(em) determinado(s) por artigo, pronome (demonstrativo ou possessivo) ou oração adjetiva.
Ex.: Pinga e cerveja não é tão caro assim. (Predicativo do sujeito, que consiste dos substantivos “pinga” e “cerveja”, empregados com artigo-zero.)
Chuva é bom, mas muita chuva é péssimo. (Predicativo do sujeito, com artigo-zero.)
Vodka que se preza tem de ser importada. (Predicativo do sujeito) (Oração adjetiva)

Obs.: Quando o núcleo do sujeito ou do objeto é determinado pelo pronome indefinido, o adjetivo predicativo permanece invariável.
É preciso muita cautela nesses casos.

2.4 O adjetivo predicativo de um sujeito oracional não exibe marcas de concordância.
Ex.: [Fazer essa viagem] foi ótimo para nós.
Nota: Frases do tipo "uma viagem à Bahia nas próximas férias seria ótimo" ou "a Aninha no caixa seria arriscado" parecem contradizer a regra explicitada no caso 3, mas devem ser interpretadas como períodos compostos em que o sujeito é oracional, embora o verbo da oração subjetiva não esteja manifesto: "(fazer) uma viagem à Bahia nas próximas férias seria ótimo" ou "(colocar) a Aninha no Caixa seria arriscado".

2.5 O adjetivo predicativo de um sujeito-zero (ou sujeito inexistente) assume a forma não marcada (masculino singular), ou seja, não exibe marcas de concordância.
Ex.: (Ø) Está frio demais aqui.

2.6 Se o núcleo do sujeito é um pronome indefinido, o adjetivo predicativo também não exibirá marcas de concordância.
Ex.: Tudo para ele está bom.
Nada para ela é caro.

2.7 O pronome predicativo que substitui substantivo feminino nas mesmas condições previstas no caso 4.3 assumirá a forma masculina (ou, em outras palavras, não concordará).
Ex.: A Senhora é cidadã portuguesa? Sou-o. (mas)
A Senhora é esta mulher aqui na foto? Sou-a.

Nota: O pronome pode substituir tanto um adjetivo quanto uma oração inteira.
Ex.: O Partido Verde é contrário à destruição da Amazônia e nós também o somos.
Ela disse que eles são comunistas, mas eu não o diria.

2.8 Se o sujeito ou o objeto direto forem representados por um pronome pessoal de tratamento, o adjetivo concordará segundo o sexo da pessoa a quem se referir (concordância em sexo).
Ex.: Vossa Excelência está atrasado.
S. Exa. se encontra acamado.
Estão achando V. Exa. muito apreensiva. (Referindo-se a mulher.)


3. OUTROS CASOS DE CONCORDÂNCIA DO ADJETIVO

3.1 Na voz passiva, o particípio (curiosamente!) concorda em gênero e número com o sujeito da oração. O particípio é um elemento híbrido, algo entre verbo e adjetivo.
Ex.: A votação foi feita, e os resultados foram divulgados.
Nota: Se o núcleo do sujeito for um numeral coletivo, a concordância do particípio pode se dar tanto com o numeral quanto com o substantivo que se lhe segue.
Ex.: Seis milhões de pessoas foram aniquiladas pela guerra.
Seis milhões de pessoas foram aniquilados pela guerra.

3.2 Anexo, incluso e junto: São adjetivos participiais e concordam normaImente, do modo já explicitado.
Ex.: Anexa, segue a documentação solicitada.
Os relatórios inclusos esclarecem melhor esse ponto.
A nota e a encomenda seguiram juntas.
Nota: "Anexo" pode ser usado também como substantivo. Nesse caso, virá precedido da preposição "em" e não terá determinantes.
Ex.: Seguem, em anexo, os documentos solicitados. (em anexo = no anexo)

3.3 "Junto a", "junto de" e "junto com": São locuções prepositivas e não variam.
Ex.: Junto à porta (Junto ao portão), havia um pacote.
Junto às escadas (Junto aos portões), havia um pacote.
A mãe ficou junto da filha.
As mães ficaram junto dos filhos.
Os pais ficaram junto das crianças.
O professor (A professora) entrou junto com os alunos.
Os professores (As professoras) entraram junto com os alunos.

3.4 Bastante, caro, barato, longe e meio: Essas palavras, se empregadas como adjetivos, concordarão normalmente – tanto em gênero quanto em número – com o substantivo a que se referem. Se forem empregadas como advérbios, serão invariáveis.
Ex.: Comprei bastantes vinhos para a festa. (adjetivo = muitos)
Vou beber bastante. (advérbio = muito)
A comida anda cara.(adjetivo = dispendiosa)
A comida está custando caro. (advérbio = muito)
As passagens foram baratas. (adjetivo = acessíveis)
As passagens custaram barato. (advérbio = pouco)
Viajou por longes terras. (adjetivo = distantes)
A China e a Índia ficam longe daqui. (advérbio = distante)
É meio-dia e meia (hora). (adjetivo)
Elas estavam meio estranhas, (advérbio = um pouco)

Nota: Assim como "bastante", o pronome indefinido adjetivo "nenhum" também pode (e deve) ir para o plural quando determina substantivos no pluraI.
Ex.: – Que chances teria FHC de se reeleger?
– Acho que bastantes.
– Acho que nenhumas.
Nenhumas chances x chances nenhumas. (cf. alguns)

3.5 O adjetivo participial dado, que tem o mesmo significado da locução prepositiva "devido a", ao contrário de outros particípios que passaram a preposição (como "exceto", "salvo", etc.), concorda em gênero e número com o substantivo que determina (dado o ..., dada a ..., dados os ..., dadas as ...).
Ex.: Dada a insistência do público, o cantor voltou ao paIco. (mas)
Devido à insistência do público, o cantor voltou ao palco. (à = preposição + artigo)

Observe: Dadas as últimas decisões... (as é apenas artigo definido).
Devido às últimas decisões... (às é preposição + artigo).

3.6 Os adjetivos "mesmo" e "próprio" concordam normalmente, em gênero e número com o substantivo a que se referem.
Ex.: Eu mesma apliquei a injeção.
Nós mesmas aplicamos a injeção.
Ela própria assinou o pedido.
Eles próprios assinaram o pedido.

3.7 Os adjetivos "quite" e "só" concordam em número com o substantivo a que se referem.
Ex.: Estou quite com o "Leão".
Estamos quites com o "Leão".
Ela mora só. (só = sozinha)
Elas moram sós. (sós = sozinhas)

3.8 Na expressão "a olhos visto(-a, -os, -as)" o adjetivo participial pode concordar com "olhos" (olhos vistos) ou com o sujeito da oração. Significa "visivelmente", "claramente".
Ex.: A situação do povo brasileiro está piorando a olhos vistos.
A situação do povo brasileiro está piorando a olhos vista.

3.9 Possível: o/a ... possível, os/as ... possíveis
O adjetivo "possível" concorda em número com as expressões "o/a mais/menos/pior/melhor" e "os/as mais/menos/piores/melhores". Acompanhado de quanto, é invariável. Nos outros casos, concorda normalmente.
Ex.: Equipamentos o mais modernos possível.
Equipamentos o mais possível modernos.
Equipamentos os mais modernos possíveis.
As policiais foram tão rápidas quanto possível.

3.10 É proibido entrada? ou É proibida a entrada? Ambas as formas estão corretas. Veja o item 2.3.

3.11 O adjetivo regido da preposição "de", em expressões que se referem a pronomes indefinidos (nada de..., tudo de..., algo de..., etc.) pode concordar ou não. A não-concordância parece ser mais usual.
Ex.: Esta máquina não tem nada de novo. (ou de nova)
Estes móveis não têm nada de ecológico. (ou de ecológicos)

3.12 Nos adjetivos compostos, apenas o último elemento se flexiona. Exceção: surdo-mudo.
Ex.: Tratamentos médico-odontológicos. (mas)
Crianças surdas-mudas.

3.13 Com a expressão "a gente" o adjetivo predicativo fica no singular, variando em gênero conforme o sexo das pessoas a que se refira.
Ex.: A gente está cansado de promessas.
A gente está cansada de discutir esse assunto. (?)

Nota: Vale lembrar que a expressão acima é mais empregada em contextos coloquiais.

3.14 Se o plural de modéstia for usado com verbo de ligação, o adjetivo predicativo fica no singular e concorda em sexo com o falante.
Ex.: Estamos Iisonjeada com a homenagem que nos foi prestada.


Concordância do substantivo com numerais em sintagmas coordenados.

O 1º ( ) e ( ) 2º andares
O 1º ( ) e o 2º andar (ou andares) e, ainda, para alguns,
O 1º ( ) e ( ) 2º andar (?)
mas
Os andares 1º e 2º


OUTROS CASOS DE CONCORDÂNCIA OU NÃO-CONCORDÃNCIA

1. A palavra "menos" pode ser advérbio (determinando verbos, adjetivos ou outros advérbios) ou pronome indefinido (determinando substantivos). Tanto em um quanto em outro caso, permanecerá invariável.
Ex.: Pense mais e fale menos. (Advérbio)
Hoje veio menos gente que da última vez. (Pronome indefinido)

2. Os numerais, como já visto anteriormente, concordam em gênero nas unidades até dois e, nas centenas, de duzentos a novecentos. Os numerais coletivos e fracionários – que, aliás, seguindo um critério morfológico, poderiam ser classificados como substantivos – sofrem flexão de número.
Ex.: uma dezena duas dezenas
uma centena duas centenas
um milhão dois milhões
um terço dois terços

Nota: Os cardinais não sofrem flexão de número. A ideia de plural já está incluída em seu próprio significado.
Ex.: Eram vinte os ladrões, e a polícia prendeu todos os vinte. (e não “vintes”)

3. Com as expressões "um e outro" e "nem um nem outro" o substantivo que se lhes segue fica no singular, mas o adjetivo vai para o plural.
Ex.: O colégio eleitoral reprovou um e outro candidato corruptos.
Nem um nem outro político corruptos se elegeram.

4. Palavras de outras classes empregadas como adjetivos não variam.
Ex.: Os anos cinquenta são o início de uma nova era para o Brasil, (Numeral empregado como adjetivo.)
Portais pérola e paredes marfim. (Substantivos empregados como adjetivos.)

5. “Alerta" é advérbio. Não varia, portanto. (?)
Ex.: Os soldados na fronteira estão alerta.

6. “Salvo" e "exceto" são particípios dos verbos “salvar” e “excetuar”. Em princípio, deveriam exibir marcas de concordância, mas, no português contemporâneo, havendo se gramaticalizado em preposições, são palavras invariáveis.
Ex.: Todos os dias foram computados, saIvo os domingos e feriados.
Todos fugiram, exceto os oficiais.

7. O pronome possessivo em função predicativa concorda com o sujeito em gênero e número (e não com o possuidor).
Ex.: Esta foto é sua?
Estas fotos são suas?
Este álbum é seu?
Estes álbuns são seus?

Nota: O pronome “seu” (e suas flexões) significa, nos exemplos acima, "de você", "do senhor", "da senhora", "de V. Sa.", "de V. Exa.", "de vocês", "dos senhores", "das senhoras", etc. Não é possível saber se o possuidor é uma ou mais pessoas. Quando o possuidor for mais de uma pessoa, para evitar confusões, é preferível usar as formas analíticas.
Ex.: Esta foto é de vocês?
Este álbum é dos senhores?

As construções "Esta foto é suas?" ou "Este álbum é seus?" (suas foto?! – seus áIbum?!) não pertencem ao padrão culto escrito, sobretudo nos registros mais formais.

8. Todo:
a) Pode ser advérbio (= totalmente, completamente) não sofrendo flexão, portanto, mas gerando frases de aceitabilidade discutível.
Ex.: Algumas máquinas já vieram todo montadas. (advérbio)

b) Pode ser adjetivo, concordando em gênero e número, mas terá dois sentidos diferentes se o substantivo que estiver determinando for co-determinado pelo artigo e esteja no singular, por um lado, ou não seja co-determinado pelo artigo ou tenha artigo no plural, conforme o esquema abaixo, por outro.
1. todo o ... = o ... todo (significado: inteiro)
2. todo ... = todos os ... (significado: cada um dos, a totalidade dos)
Ex.: Estudei todo o dia. = Estudei o dia todo. (inteiro)
Estudei todo dia. = Estudei todos os dias. (cada um dos dias, sempre)

Nota: "Todos" (no plural) determina substantivos juntamente com um artigo definido ou com um pronome demonstrativo. Um desses dois não pode faltar.
Ex.: Todos os andares e não Todos andares
Todas estas pessoas e não Todas pessoas

1. Cujo: Indica posse e concorda com a coisa possuída em gênero e número, a qual será o substantivo que se lhe segue. Este não pode ser concomitantemente determinado por um artigo ou por um pronome possessivo.
Ex.: O armário cuja fechadura está com defeito é este. (cuja fechadura = a fechadura do armário)
O armário cuja a fechadura ... (errado)
O armário a cuja fechadura ... (errado)
O armário cuja esta fechadura ... (errado)


ATIVIDADES
1. Complete as lacunas com a palavra dos parênteses, fazendo a devida concordância:

a) O programa irá ao ar no __________ mês __________ . (próximo)
b) Papel de parede e tinta __________ . (azul)
c) Galão de tinta látex __________ . (branco)
d) Piso e teto __________ . (claro)
e) Parede e teto __________ . (claro)
f) Teto e parede __________ . (claro)
g) Portas e janelas __________ . (claro)
h) Os __________ Diretor-Geral e Presidente da Associação. (eminente)
i) Os __________ Eça de Queirós e Machado de Assis. (clássico)
j) Você escolheu __________ hora e lugar para aparecer. (péssimo)
k) Você escolheu __________ lugar e hora para aparecer. (péssimo)
l) As comissões reunir-se-ão em dia e hora __________ em convocação
(estabelecido)
a) Este motor funciona com uma mistura de óleo e gasolina __________ . (azul)
b) Raiva e ódio __________ levaram-no a essa atitude. (incontido)
c) Um pensamento, uma palavra, uma atitude __________ . (solidário)
d) O Governador e a Vice-Governadora são __________ corruptos. (demasiado)
e) Feijão e carne __________ são a base da feijoada. (suíno)
f) Carne e feijão __________ são a base da feijoada. (preto)
g) Foi __________ a intervenção da policia. (necessário)
h) Era __________ a cópia e o original. (necessário)
i) Era __________ o original e a cópia, (necessário)
j) Eram __________ o original e a cópia. (necessário)
k) Eram __________ a carteira e a fotocópia da mesma. (necessário)
l) O líder comunitário tachou de __________ a imprensa e as autoridades governamentais. (Insensível)
m) O candidato julga a participação e o apoio das bases __________ . (necessário)
n) O candidato julga a discussão e a votação da proposta __________ . (necessário)

1. Complete as lacunas com a palavra dos parênteses, fazendo a devida concordância:
a) O candidato julga o apoio e o trabalho das bases __________ . (necessário)
b) O candidato julga __________ a participação e o apoio da população. (necessário)
c) Sombra e água fresca é __________. (ótimo)
d) A sombra desta árvore é __________ . (ótimo)
e) Dois litros de leite é __________ .(suficiente)
f) Esses dois litros de leite são __________ . (suficiente)
g) Secretária que não pensa é __________ neste setor. (perigoso)
h) A Bahia é __________ . (bonito)
i) Na Bahia, é __________ . (bonito)
j) Na Suécia, é __________ . (frio)
k) Na Sibéria, é __________ . (friíssimo)
l) Se me permite, V. Exa. foi muito __________ . (precipitado)
m) Apenas alguns milhares de pessoas foram __________ . (entrevistado)
n) As propostas foram __________ . (particípio de "aceitar")
o) __________ com Afif chegaremos Iá? (junto)
p) Chegamos __________ ao repórter e pedimos-lhe que nos acompanhasse. (junto)
q) O diretor do Departamento de pessoal e o do de finanças trabalham __________ (junto)
r) __________, enviamos-lhes as notas fiscais. (junto)
s) __________ dos guarda-costas, eles não correm riscos. (junto)
t) __________, enviamos-lhe as notas fiscais. (anexo)
u) Em __________, enviamos-lhe as notas fiscais. (anexo)
v) Enviamos a V. Exa., em __________ , os seus pedidos. (separado)
w) Seguem, __________ , as faturas. (incluso)
x) Remetemos, __________ , os mapas e as projeções. (incluso)
y) Gasolina é __________ (caro)
z) A gasolIna está a cada dia mais __________ . (caro)

1. Complete as lacunas com a palavra do parêntese, fazendo a devida concordância:
a) Ontem o Governador recebeu em palácio __________ parlamentares. (bastante)
b) Ficamos __________ satisfeito com o desempenho de nosso setor. (bastante)
c) Estes equipamentos não são nada __________ . (barato)
d) Pagamos relativamente __________ por esses equipamentos. (barato)
e) Aí fora, na sala de espera, está __________ de gente querendo falar com o Senhor. (cheio)
f) A Daniele nessa posição é muito __________ para reforçar a equipe. (bom)
g) Ninguém aqui é tão __________ a ponto de votar nesse sujeito, disse uma das associadas; e todas as demais concordaram com ela. (alienado)
h) Navegar é __________; viver também. (preciso)
i) Praticar esporte é __________ para a saúde. (bom)
j) Conheci __________ terras. (longe)
k) Essas capitais ficam __________ umas das outras. (longe)
l) Ao meio-dia e __________ começa o turno da tarde. (mei-)
m) As máquinas apresentaram uma produção __________ irregular. (mei-)
n) As __________ estão sendo produzidas com o cano muito longo. (mei-)
o) Já produzimos __________ __________ para este ano. (mei-) (bastante)
p) Quantas peças foram repostas na máquina vinte? __________ . (Nenhum)
q) Examinando nossos arquivos, constatamos que as duas últimas prestações não são __________ . (devido)
r) __________ aumentos dos custos de produção, vimo-nos forçados a aIterar também nossos preços. (devido)
s) __________ aumentos dos custos de produção, vimo-nos forçados a aIterar também nossos preços. (dado)
t) A Senhora __________ nos procurou. (mesmo)
u) Eles __________ o elegeram. (próprios)
v) Agora estou __________ com a tesouraria. (quite)
w) Agora estamos __________ com a tesouraria. (quite)
x) O diretor de finanças e o de pessoal trabalham __________, cada um em sua sala. (só)
y) A inflação está aumentando __________ (a olhos vist-)
z) O candidato está perdendo popularidade a olhos __________ . (vist-)


1. Complete as lacunas com a palavra dos parênteses, fazendo a devida concordância:

a) Materiais os mais resistentes __________ . (possível)
b) As mais leves ligas __________ . (possível)
c) Ligas o mais leves __________ . (possível)
d) Materiais baratos o mais __________ . (possível)
e) É __________ a entrada de pessoas estranhas ao setor. (proibido)
f) __________ entrada. (proibido)
g) Entrada __________ . (proibido)
h) Os prospectos não têm nada de __________ . (objetivo)
i) As propostas não têm nada de __________ . (interessante)
j) Eleitores __________ votam normal mente. (surdo-mudo)
k) O seguro cobre também despesas __________ (médic--hospital ar)
l) Os movimentos __________ e __________ defendem esse ponto de vista (negro / ecológico)
m) Os setores __________ e os __________ da Igreja estão acordes nesse ponto. (progressista / conservador)
n) A gente ficou __________ com o resultado, disseram as duas. (satisfeito)
o) Estamos __________ de que estas reformas trarão melhorias para todos, disse o Presidente. (convicto)
p) Essa máquina tem __________ teclas que a outra. (menos)
q) Obedeçamos __________ e vIvamos mais. (menos)
r) __________ milhões de pessoas assistiram ao comício pela TV. (Dois)
s) Todos os __________ apartamentos foram vendidos. (quatro)
t) Um e outro __________ __________ tiveram curta duração. (governo autoritário)
u) Nem um nem outro __________ __________ foram liberados. (edifício avariado)
v) Seria este um dos __________ de nossos programa. (ponto-chave)
w) O hall do edifício foi pintado em tons __________ . (terra)
x) Todos os radares estão __________ . (alerta)
y) __________ a primeira e a terceira cláusulas, as demais serão mantidas, (Salvo)
z) Todos os votos já foram contados, __________ os dessa urna. (exceto)


1. Complete as lacunas com a palavra dos parênteses, fazendo a devida concordância:
a) Este cheque é __________, perguntou o caixa ao casal. (seu)
b) Enviamos a V. Exa., em separado, parte de __________ encomendas. (seu / vosso)
c) Enviamos a V. Sas. a __________ encomenda. (seu)
d) Os imóveis já estão __________ pagos. (todo)
e) Todos os imóveis já estão __________ pagos. (todo)


MESMO
Mesmo os professores erraram a questão. (Adv. = até, inclusive)
Os monitores mesmos resolveram a prova. (Adj. = próprios)
Depois de jogados no óleo quente, os bolinhos viram-se por si mesmos (por si sós).
Eles foram os melhores em campo.
Eles jogaram melhores dessa vez.
Eles analisaram melhores os fatos.
Eles julgaram melhores os indicadores econômicos.

PLURAL DE SIGLAS
É possível, mas sem apóstrofo. Em inglês, o apóstrofo seguido de “s” após substantivos indica o genitive case (relação possessiva). Assim, William’s birthday é o aniversário de William. Lilian’s father é o pai de Lilian, etc. Em português, a função do apóstrofo é indicar a supressão de fonemas na grafia: copo d’água (de água), etc.
CDs (e não CD’s); IPVAs (e não IPVA’s); etc.



MELHOR / PIOR X MAIS BEM / MAIS MAL
Não se diz mais bem, mas melhor. Do mesmo modo,
Não se diz mais mal, mas pior.
Se mal ou bem são modificadores de um particípio, no entanto, o advérbio mais modificará todo o sintagma adjetival
mais [bem pago] mais [bem-educado]
mais [mal-feito]

Mais bem que mal
Mais mal que bem

A sala é mais grande que larga.

“Mais bem” e “mais mal” podem ser usados, como alternativa a “melhor” e “pior”, antes de particípios.


O novo edifício foi mais bem (ou melhor) construído que o anterior.
Antes eu era mais mal- (ou pior?) pago.

Ele é o jogador mais mal pago do futebol brasileiro.
Nunca vi uma camisa mais mal passada.
Quero meu bife mais bem passado que o deles.

1. Aponte a alternativa em que a concordância nominal tenha sido feita de acordo com o padrão culto escrito.

a) Na última hora, foi necessário algumas mudanças nos planos do Departamento de Obras, já que algumas ruas da Capital estavam literalmente intrafegáveis.
b) A organização política-administrativa do Brasil não foi alterada com a Constituição de 1988.
c) Como causa mortis, no entanto, o laudo dos peritos de ambas as instituições apontam fraturas na base do crânio.
d) Mais de um clandestino atravessou a fronteira nesse local.
e) A anulação de dotação orçamentária é considerado um dos recursos para a abertura de crédito suplementar e/ou especial.

1. Assinale a alternativa em que a concordância nominal esteja de acordo com a norma culta.
a) Para combater o tráfico de drogas, foi necessário a intervenção do exército.
b) Fica proibido por prazo indeterminado a formação de novos consórcios.
c) Serão distribuídos entre os Estados de mais baixa renda per capita o restante da verba destinada à aquisição de materiais escolares.
d) No túmulo do piloto foram depositados flores, bandeiras e muitas homenagens.
e) Para se lidar com bancos é necessário, antes de mais nada, paciência.

1. Assinale a alternativa em que a concordância nominal tenha sido realizada de conformidade com a norma culta escrita.
a) Este trecho da estrada já deveria ter sido interditada.
b) Agora serão discutidas as alterações que o novo Presidente eleito julga conveniente.
c) As legislações eleitoral e partidária deverão ser modificadas ainda este ano.
d) Os carros tiveram um dos números do chassis trocados.
e) O seguro não cobre as despesas médicas-odontológicas dos ascendentes do segurado.

1. Assinale a alternativa em a concordância nominal esteja em conformidade com a norma culta escrita.
a) Vem sendo descontado em seu pagamento a contribuição previdenciária mensal de 3,5% sobre seu salário.
b) Devemos usar bloqueador solar porque os raios ultravioleta são cancerígenos.
c) Ela mesmo me disse que não tinha qualquer interesse em adquirir o produto.
d) Mais de duas milhões de pessoas assistiram ao evento pela TV.
e) Ela tem cabelos castanhos escuros e usa lentes de contato verde claro.

1. Atentando para o fenômeno da concordância, segundo a norma culta, indique a alternativa CORRETA referente aos pares de frases a seguir:

I. O detetive alega que houve furto na empresa.
Os detetives alegam que houveram furtos na empresa.
II. Trata-se de boa pessoa.
Trata-se de boas pessoas.
III. O cientista declarou existir relato de caso semelhante.
Os cientistas declararam existirem relatos de casos semelhantes.
IV. Deve estar fazendo um ano que ele se foi.
Devem estar fazendo dois anos que eles se foram.
A) I e III.
B) Todas.
C) II e III.
D) I, III e IV.
E) II e IV.


9- A _________________ cientifica do povo levou-o a tachar taxar de feiticeiros os expertos espertos em Astronomia. (descubra qual é a proposta desta questão)

Reescreva a frase abaixo passando o adjetivo ou adjetivos que esta contiver para o superlativo absoluto sintético.

A situação dos trabalhadores do Brasil é muito precária.

Qual e a abreviatura de "Vossas Senhorias"?

Corrija as frases abaixo, se for o caso:

a) Enviamo-lhes nossos cumprimentos.
b) Enviamos a Vs. Sras. nossos comprimentos.

Qual pronome de tratamento se deve empregar na correspondência destinada a um juiz? .........................................

Assinale a alternativa em que há erro.
a) ..., haja vista os documentos apresentados.
b) ..., hajam vista os documentos apresentados.
c) ..., haja vista aos documentos apresentados.
d) ..., haja visto os documentos apresentados.
e) Caso haja visto nos documentos apresentados, ....

Assinale a frase correta.

a) Dado aos últimos avanços tecnológicos, ...
b) Devido à problemas técnicos, interrompemos nossas transmissões.
c) Dado o aumento dos preços dos combustíveis, vimo-nos forçados a ...
d) Dado as constantes chuvas, ...
e) Devidos aos inúmeros defeitos apresentados peIo equipamento, ...

Substitua os termos grifados por um pronome pessoal obliquo átono:

a) Solicitamos ainda a Vossa Excelência que considere a importância dessa decisão para...
b) ...............................................................................................................................

Enviamos a Vossa Excelência as informações sobre o andamento do processo de reestruturação do Departamento de Pessoal.

Construa uma frase empregando o antônimo da expressão latina lato sensu.

Em qual das opções abaixo a relação entre a autoridade e o correspondente pronome de tratamento foi corretamente estabelecida?

1. Governador de Estado ( ) V. Sa.
2. Reitor ( ) V. Sa.
3. Diretor de Faculdade ( ) Vossa Excelência
4. Juiz ( ) Vossa Magnificência
5. Gerente de banco ( ) V. Exa.

a) 5-3-1-4-2
b) 5-3-2-1-4
c) 1-2-3-4-5
d) 3-5-1-2-4
e) 5-4-3-2 -l

Assinale o par correto:
a) infligir – infringir
b) infringir – infringir
c) infringir – infrigir
d) infligir – infringir
e) inflingir – infrigir

Indique a alternativa que completa corretamente as lacunas da frase abaixo:
.................. desistir agora de um projeto ................. tanto nos debatemos?

a) Porque – porque
b) Por que – por que
c) Por quê – porque
d) Por que – que
e) Por que – porque

12. lndique a aIternativá que completa corretamente as lacunas da frase abaixo:

Por decisão da Secretaria da Saúde, ......,...,,, impróprias para o consumo as mercadorias que ............. importar.

a) foi considerado / se pretendia
b) foram consideradas / se pretendiam
c) considerou-se / se pretendiam
d) consideraram-se / pretendia-se
e) foram consideradas / se pretendia

13. Faça o mesmo que se pede no exercicio anterior;

Permita-me V. Exa. ............. do assunto, já que ......... por bem recorrer a meus conhecimentos.

a) informar-vos / houveste
b) informá-la / houve
c) informar-vos / houvestes
d) informar-lhe / houve
e) informá-lo / houvestes.

14. Faça o mesmo que se pede no exercicio anterior.
Não .................... meios de avisá-los de que já .......................... fazer anos que ............. em nosso estoque esses livros.

a) houve / deve / faltam
b) houve /devem / falta
c) houve / devem / faltam
d) houveram / devem / faltam


15. O que significa a palavra quorum? ..............................

16. Complete a lacuna da frase abaixo com o verbo indicado entre parênteses, flexionando-o de acordo com o contexto.

A polícia não ...................................na última manifestação dos grevistas. (intervir)
17. O mesmo que no exercicio anterior.
O diretor do departamento de pessoal nunca ............................. com seus funcionários. (desavir-se)

18. Passe a frase abaixo para o plural:

Espero que ela dê a notícia a tempo.

19. Substitua a expressão sublinhada por um advérbio em "-mente".

a) Sem dúvida alguma, essa é a melhor solução para esse problema.
b) Um administrador de empresas não pode agir sem refletïr.

20. Complete a lacuna com uma das forma entre parênteses:
Sua Excelência ............. vaiado fragorosamente em Ouro Preto. (foi / foste / fostes)
Se V. Exa. me ............................... um aparte, posso esclarecer ....................... duvida, (permite / permites / permitis) (tua / sua / vossa)

21. O mesmo que no exercicio anterior:
Nos discursos de S. Exa., não ..................... adequadamente os problemas do Brasil. (tratou-se / se tratou /trataram-se / se trataram)

22. Qual e o vocativo empregado na correspondência destinada a um comerciante? .........................................................................

23. Reescreva as frases abaixo segundo o modelo:

Modelo: a) Levaram o Brasil à bancarrota.
b) O Brasil levaram-no à bancarrota.

a) O Ministério da Fazenda ainda não fez estes estudos.

b) O Governo, na verdade, não tem planos, programas ou políticas.

24. Use, numa das lacunas da frase abaixo o pronome de tratamento entre parênteses.

O que tem ... faltado ... é o apoio da cúpula partidária. (lhe)

25. Escreva por extenso: R$ 50.663.014,00 ............................................................. ....................................................................................................................................


1. Assinale a frase CORRETA.

a) Já vai fazer cinco anos que me radiquei em Brasília.
b) Falta apenas dois meses para o término do semestre letivo.
c) Se lhe interessar pormenores, dar-lhe-ei os respectivos nomes.
d) Não faltou repórteres intrusos que procuravam entrevistar os convidados.
e) Não podiam haver mais contemporizações.

2. Assinale a frase INCORRETA.

a) Três quintos do e l e it orado compareceram a votação.
b) Cinqüenta e cinco por cento dos candidatos obtiveram classificação.
c) Mais de uma remessa deixou de ser feita.
d) Já voltaram cerca de trinta cartas.
e) Um quarto dos candidatos falharam às provas.

3. Assinale a frase INCORRETA.

a) Vinte mil cruzados e pouco demais para isso.
b) Nem tudo são probl emas e aborrecimentos.
c) Quem fez isso foram vocês mesmos.
d) Era este o ponto que os mantinham em contato.
e) Esta foi uma das cidades que ma is sofreu com as inundações.

4. Nas discussões sobre revisão, ........................ aspectos secundários, como se a concordância verbal não ............... importante.

a) acentuava-se / era
b) acentuavam-se / fosse
c) acentuava-se / fosse
d) se acentuava / fosse
e) acentuavam-se / era

1. ....................... transportar máquinas para o local, a fim de que o começo promissor e o interesse pelo empreendimento não ............................ em apatia.

a) Deve-se / se transforma
b) Deve-se / se transforme
c) Deve-se / se transformem
d) Deve-se / se transformam
e) Devem-se / se transformem

1. ........................ com calor, os rumos que ........................imprimir ao movimento.

a) Discutiu-se / se pretende
b) Foram discutidos / pretendem-se
c) Discutiram-se / pretendem-se
d) Foi discutido / pretendem-se
e) Discutiram-se / se pretende

7. Assinale a frase incorreta:

a) Fomos nós quem primeiramente lecionamos esta matéria.
b) Fomos nós quem primeiramente lecionou esta matéria.
c) Fomos nós os que primeiramente lecionamos esta matéria.
d) Fomos nós que primeiramente lecionamos esta matéria.
e) Fomos nós que primeiramente lecionaram esta matéria.

1. Não nos .......... vaticínios sobre as consequências dessas medidas; se falharem, .......... por elas quem as ............... proposto.

a) compete / responda / tenham
b) compete / responde / tiver
c) compete / respondem / tenha
d) competem / responda / tiver
e) competem / respondam / tenham

Permita-me V. Exa. ______________ do assunto, já que _____________ por
bem recorrer a meus conhecimentos.

a) informá-la / houve
b) informá-lo / houvestes
c) informar-vos / houvestes
d) informar-vos / houveste
e) informar-lhe / houve

4. Assinale a alternativa em que a concordância verbal não tenha se dado de conformidade com a norma culta escrita.

a) A maior parte dos alunos das universidades federais não provêm de famílias pobres.
b) A fumaça negra emitida pelos veículos contêm gases tóxicos prejudiciais à saúde.
c) Nessa fase, um conjunto de fatores intervêm no crescimento das plantas.
d) Não me convêm as soluções que os advogados da empresa apresentaram.
e) Os filtros retêm a maior parte das partículas de amianto em suspensão no ar.

1. Assinale a alternativa em que a concordância verbal tenha sido realizada de conformidade com a norma culta escrita.

a) Se tivessem havido diferenças salariais nos meses de junho e julho, já teriam sido pagas.
b) Segundo a administração, ainda devem haver diferenças salariais a serem pagas.
c) A presente relação refere-se a diferenças salariais que havia sido detectadas nos meses de junho e julho.
d) As diferenças salariais apontadas pela administração, que haviam sido pagas em 1º de agosto, referem-se aos meses de junho e julho.
e) De conformidade com a presente relação, não houveram diferenças salariais nos meses de agosto e setembro últimos.

1. Assinale a alternativa em que a concordância verbal esteja CORRETA.

a) A prática regular de atividade física, conforme mostra vários estudos, pode ajudar a reduzir as chances de ataque cardíaco.
b) Entre 1992 e 1998, saíram ilegalmente do País o equivalente a 111 bilhões de dólares.
c) O anel rodoviário, um dos principais corredores de Belo Horizonte, é 26 km de problemas.
d) Boa parte da carga dos caminhões roubados no Nordeste são trocados por drogas.

1. Assinale a alternativa em que a concordância verbal esteja CORRETA.

a) A universidade não pode negligenciar os gêneros discursivos pelos quais o conhecimento que ela mesma constrói circulam.
b) O pagamento de todos os encargos sociais a incidir sobre os bens ficarão por conta dos donatários.
c) Foi um acidente dramático, no qual perdeu a vida o piloto e dezenas de passageiros.
d) O resultado das pesquisas de opinião não os apontavam como prováveis vencedores na disputa pelas prefeituras dessas capitais.

1. Atentando para o fenômeno da concordância, segundo a norma culta, indique a alternativa CORRETA referente aos pares de frases a seguir:

I. O detetive alega que houve furto na empresa.
Os detetives alegam que houveram furtos na empresa.
II. Trata-se de boa pessoa.
Trata-se de boas pessoas.
III. O cientista declarou existir relato de caso semelhante.
Os cientistas declararam existirem relatos de casos sememelhantes.
IV. Deve estar fazendo um ano que ele se foi.
Devem estar fazendo dois anos que eles se foram.
A) I e III.
B) Todas.
C) II e III.
D) I, III e IV.
E) II e IV.

jogador ( ) o nosso melhor JOGADor

jogador( ) ES os nossos dois melhores JOGADores

jogador a a nossa melhor JOGADora

jogador a S as nossas duas melhores JOGADoras



gat o ( ) o nosso GATo malhado

gat o S os nossos dois GATos malhados

gat a ( ) a nossa GATa malhada

gat a S as nossas duas GATas malhadas


CONCORDÂNCIA DE ELEMENTOS APOSITIVOS

apositivo
adj. (1881 cf. CA1) 1 relativo a ou em que existe aposição 2 GRAM LING que tem função de aposto (diz-se de oração relativa)  adj.s.m. 3 que ou o que se coloca perto ou junto de algo 4 (sXX) GRAM LING diz-se de ou palavra, ou sintagma invariável, que condensa uma frase de teor adjetivo: lei antidroga/ leis antidroga (leis que combatem o uso das drogas) [Trata-se de recurso moderno, corrente sobretudo na linguagem dos meios de comunicação orais e escritos.]  GRAM a) este dicionário usa apositivo (acp. 4) como classe de lexema, denominação não prevista na Nomenclatura Gramatical Brasileira, de 1959 b) quando esse apositivo (acp. 4) é um sintagma ou palavra composta com hífen, há várias formas possíveis de fazer a concordância de gênero e de número, tanto entre os dois membros do sintagma apositivo, como entre este e o substantivo-núcleo do sintagma nominal: borboleta amarela escura; borboleta amarelo-escura; borboleta amarelo escuro; borboletas amarelas escuras; borboletas amarelo-escuras; borboletas amarelo escuro; vestidos amarelo-cheguei (sendo tais formações episódicas e em geral ad hoc, não foram ainda formuladas regras rígidas para o uso do hífen, que funciona, assim, como traço estilístico, de opção facultativa)  ETIM lat. appositívus,a,um, de apposìtum, supn. de apponère 'apor, justapor'; ver -por; f.hist. 1881 appositivo; a datação é para o adj.s.m. 'que ou o que se coloca perto'

Dentre os elementos apositivos, há diversos sintagmas que indicam cor.

azul-marinho
S. m. Plural: azuis-marinhos. Ambos os tecidos são azul-marinho, mas trata-se de azuis-marinhos diferentes.
Adj.2g.2n., isto é, invariável: Usava calças azul-marinho.

azul-pombinho (azul-celeste)
S. m. Plural: azuis-pombinhos e azuis-pombinho
Adj.2g.2n., isto é, invariável.

verde-e-amarelo (verde-amarelo)
S. m. Plural: verdes-e-amarelos.
Adjetivo variável em gênero e número. Plural: verde-e-amarelos. Bandeiras verde-e-amarelas.

verde-claro
S. m. Plural: verdes-claros
Adjetivo variável em gênero e número. Plural: verde-claros. Meias verde-claras.

sem-terra
S.2g.2n. e Adj.2g.2n. (invariáveis) e apositivo. Alguns sem-terra. Uma sem-terra, duas sem-terra. Sem-terra morre em conflito. Sem-terra invadem sede do Incra. Trabalhadoras sem-terra. Manifestantes sem-terra.

apositivo
adj. (1881 cf. CA1) 1 relativo a ou em que existe aposição 2 GRAM LING que tem função de aposto (diz-se de oração relativa)  adj.s.m. 3 que ou o que se coloca perto ou junto de algo 4 (sXX) GRAM LING diz-se de ou palavra, ou sintagma invariável, que condensa uma frase de teor adjetivo: lei antidroga/ leis antidroga (leis que combatem o uso das drogas) [Trata-se de recurso moderno, corrente sobretudo na linguagem dos meios de comunicação orais e escritos.]  GRAM a) este dicionário usa apositivo (acp. 4) como classe de lexema, denominação não prevista na Nomenclatura Gramatical Brasileira, de 1959 b) quando esse apositivo (acp. 4) é um sintagma ou palavra composta com hífen, há várias formas possíveis de fazer a concordância de gênero e de número, tanto entre os dois membros do sintagma apositivo, como entre este e o substantivo-núcleo do sintagma nominal: borboleta amarela escura; borboleta amarelo-escura; borboleta amarelo escuro; borboletas amarelas escuras; borboletas amarelo-escuras; borboletas amarelo escuro; vestidos amarelo-cheguei (sendo tais formações episódicas e em geral ad hoc, não foram ainda formuladas regras rígidas para o uso do hífen, que funciona, assim, como traço estilístico, de opção facultativa)  ETIM lat. appositívus,a,um, de apposìtum, supn. de apponère 'apor, justapor'; ver -por; f.hist. 1881 appositivo; a datação é para o adj.s.m. 'que ou o que se coloca perto'





adj. (1881 cf. CA1) 1 relativo a ou em que existe aposição 2 GRAM LING que tem função de aposto (diz-se de oração relativa)  adj.s.m. 3 que ou o que se coloca perto ou junto de algo 4 (sXX) GRAM LING diz-se de ou palavra, ou sintagma invariável, que condensa uma frase de teor adjetivo: lei antidroga/ leis antidroga (leis que combatem o uso das drogas) [Trata-se de recurso moderno, corrente sobretudo na linguagem dos meios de comunicação orais e escritos.]  GRAM a) este dicionário usa apositivo (acp. 4) como classe de lexema, denominação não prevista na Nomenclatura Gramatical Brasileira, de 1959 b) quando esse apositivo (acp. 4) é um sintagma ou palavra composta com hífen, há várias formas possíveis de fazer a concordância de gênero e de número, tanto entre os dois membros do sintagma apositivo, como entre este e o substantivo-núcleo do sintagma nominal: borboleta amarela escura; borboleta amarelo-escura; borboleta amarelo escuro; borboletas amarelas escuras; borboletas amarelo-escuras; borboletas amarelo escuro; vestidos amarelo-cheguei (sendo tais formações episódicas e em geral ad hoc, não foram ainda formuladas regras rígidas para o uso do hífen, que funciona, assim, como traço estilístico, de opção facultativa)  ETIM lat. appositívus,a,um, de apposìtum, supn. de apponère 'apor, justapor'; ver -por; f.hist. 1881 appositivo; a datação é para o adj.s.m. 'que ou o que se coloca perto'

O Bolsa-Família e outros Programas
M. T. Piacentini

Pode parecer paranoia ortográfica, mas é impossível não notar a falta de atenção do governo às leis ortográficas oficiais no momento em que lançou o Bolsa-Família, “a evolução dos programas de complementação de renda no Brasil”. Só que na sua grafia houve uma pequena involução quando a hifenização foi esquecida. Nas duas páginas de propaganda veiculadas em algumas revistas, encontram-se seis substantivos compostos sem o hífen: *Auxílio Gás, *Vale Gás, *Bolsa Escola, *Bolsa Alimentação, *Cartão Alimentação e * Bolsa Família.
Pôde-se observar que, mesmo assim, muitos órgãos de imprensa levaram em conta as convenções ortográficas, escrevendo:
1 Auxílio-Gás
2 Vale-Gás
3 Bolsa-Escola
4 Bolsa-Alimentação
5 Cartão-Alimentação
6 Bolsa-Família.
Convém, neste caso, rever a regra que nos leva ao uso do hífen nesse tipo de palavra composta.
Sabemos, mesmo que intuitivamente, que em português os substantivos, como regra, não são usados lado a lado sem alguma forma de conexão. Não se diz “Aquela bolsa couro é bonita”, mas “Aquela bolsa de couro é bonita”.
Então: os substantivos se associam ou por meio de preposição ou de hífen. Bolsa é substantivo, Família também. Como não se fala em Bolsa da Família, Bolsa para Família, deve-se empregar o traço-de-união no lugar da preposição: Bolsa-Família.
Esse raciocínio pode ser estendido a vários outros casos de uso frequente hoje em dia:
7 vale para gás = vale-gás
8 vale para transporte = vale-transporte
9 auxílio para maternidade = auxílio-maternidade
10 auxílio para funeral = auxílio-funeral
11 auxílio para refeição = auxílio-refeição
12 auxílio pelo desemprego = auxílio-desemprego
13 auxílio por doença = auxílio-doença
14 licença por/como prêmio = licença-prêmio
15 licença pela paternidade = licença-paternidade
16 cartão para alimentação = cartão-alimentação
17 tíquete para alimentação = tíquete-alimentação
18 bolsa para alimentação = bolsa-alimentação
19 bolsa para escola = bolsa-escola
20 seguro por desemprego = seguro-desemprego
21 salário por/para a família = salário-família
22 salário por hora = salário-hora
23 custo por hora = custo-hora
24 hora de aula = hora-aula.
Mas por que “hora extra” não leva hífen? Porque “extra” aí é um adjetivo, redução de “extraordinário” (plural: horas extras).
São raros os casos de dois substantivos intimamente associados sem a intervenção do hífen, o que constitui uma exceção à regra. Isso só acontece quando o segundo substantivo faz as vezes de adjetivo. Por exemplo: efeito cascata = efeito cascateante; carro esporte = carro esportivo (não se trata de carro e esporte ao mesmo tempo, nem de carro para esporte).



De palavras compostas
M. T. Piacentini
Qual é a grafia correta: multi-habilidade ou multihabilidade?
A grafia a ser usada é multi-habilidade. Normalmente o prefixo "multi" é escrito junto, dobrando o "r" e o "s" quando a palavra-base começa com tais letras, como por exemplo, multirracial e multissecular. Mas sugere-se o uso de hífen quando o segundo elemento inicia por "h", como multi-hotelaria, multi-horticultura e multi-hospedeiro, para que a palavra não fique descaracterizada.

Por qual razão moto-próprio leva hífen?
O substantivo composto moto-próprio (que significa "documento papal editado por iniciativa pessoal e espontânea do próprio Papa" e tem o plural motos-próprios), à semelhança das expressões sinônimas moto-perpétuo (pl. motos-perpétuos) e moto-contínuo (pl. motos-contínuos) leva hífen porque é formada por dois substantivos, o primeiro significando "movimento, giro". Não confundir o substantivo hifenizado com a expressão latina motu proprio, que se traduz na locução portuguesa de moto próprio, ou seja, "espontaneamente, por seu próprio ‘movimento’, de vontade própria", como neste exemplo: "Janete deixou o cargo de assistente de moto próprio".
Já as palavras compostas com o elemento prefixal ‘moto’ que se refere a motor são escritas sem hífen, como motoniveladora, motosserra, mototaxista, motonáutica.
Qual a forma correta de grafar a seguinte palavra composta: diretora-presidente ou diretora-presidenta?
As duas estão corretas. Como a palavra ‘presidente’ admite dois femininos (presidente e presidenta) você pode escolher entre diretora-presidente e diretora-presidenta.
Qual a terminologia mais adequada para designar as pessoas portadoras de "deficiência": discapacitadas ou descapacitadas. (...)
Ambos os prefixos podem, de fato, ser usados com a noção de "negação, oposição", ou mesmo "separação, dispersão, intensidade, falta, privação". Mas, no caso em apreço, o prefixo correto é DES: descapacitado, como consta nos dicionários.
Qual a justificativa para não se colocar hífen na palavra composta supramencionado? Dessa maneira, é correto escrever supracitado, retromencionado?
A regra para o prefixo supra é a seguinte: só vai hífen antes de palavra que começa por vogal, h, r ou s. Portanto, supramencionado e supracitado são escritos numa só grafia.
Já retro é um dos prefixos que nunca é hifenizado. Logo, escrever retromencionado é correto, assim como se deve escrever retroprojetor e retroescavadeira.


http://64.233.183.104/search?q=cache:5JvX4qsEqF8J:www.letras.ufrj.br/posverna/mestrado/AlmeidaES.pdf+%22%22%C3%89+comum+em+estudos+de+car%C3%A1ter+diacr%C3%B4nico+a+afirma%C3%A7%C3%A3o+de+que+no+portugu%C3%AAs+antigo,+nos+tempos+compostos,+o+partic%C3%ADpio+passado+concorda%22%22&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=2&gl=br

nas versões seca ou doce


De repente me deu um estalo e me lembrei de uma pergunta sua, a qual,
por um lapso de memória, deixei sem resposta. Foi puro e completo
esquecimento, mesmo. Peço que você me desculpe.

Se não estou errado, você queria saber se, na locução prepositiva "a
teor de", o substantivo masculino "teor" poderia/deveria vir
determinado pelo artigo ("ao teor de"). É isso mesmo?

Bem, se for essa a dúvida, não vejo nenhum problema no uso de "a teor de" (preposição + substantivo + preposição). É o mesmo que se verifica em "a exemplo de", "a ponto de", "a despeito de", "a respeito de", "a serviço de", “em face de” (x “face a”, considerado galicismo) e, também, na muitas vezes (e por muitos) execrada locução prepositiva "a nível de".

de molde a ver internet

Só para você ter uma ideia de quão frequentemente se recorre a essa locução, numa rápida consulta à internet, encontrei mais de meio milhão de ocorrências de "a teor de" (e variações: a teor do, a teor dos, a teor da, a teor das), sobretudo em textos jurídicos, sempre sem o artigo determinante de "teor".


priberam suso


no mais das vezes
na mais das vezes
nas mais das vezes
"Esta letra y que chamamos grego tem a figura com v consoante, senão que estende uma perna para baixo, ficando-lhe a boca para cima, todavia, da qual alguns poderão dizer que não é nossa; mas eu lhe darei ofício na escritura das nossas dicções próprias, e é este: que as mais das vezes, quando vem uma vogal logo trás outra, nós pronunciamos entre elas uma letra como em meio, seio, moio, joio e outras muitas. A qual letra a mim me parece ser y e não i vogal, porque ela não faz sílaba por si [....]" João de Barros

Até o advento da Lei Complementar no 95, de 1998, (v. Apêndice) a cláusula de vigência vinha expressa, no mais das vezes, na fórmula tradicional: (Manual de redação da Pres. de República)

No Brasil, a entrada no mercado de trabalho não significa necessariamente o final da juventude; pelo contrário, no mais das vezes é o trabalho que permite que o jovem tenha acesso ao consumo e ao lazer característicos da vivência juvenil. (PCNs)

as (ou às) mais das vezes (Grande manual de ortografia Globo) Luft.

As suas regras e preceitos são sutilíssimos e infalíveis; e os sujeitos e mestres que a professam, ainda mal, que as mais das vezes são os que se prezam de mais nobres, para que não digamos que são senhorias, altezas e majestades." (Arte de Furtar. Texto do século XVIII, de autor anônimo, p. 20)

Por conta disso, argumenta ela, "ele [o informante] não tem nenhuma ideia de qual deve ser o seu papel", o que o leva a agir, as mais das vezes, de forma insólita.


Embora nunca tenha feito da tradução actividade principal, já levo uns bons milhares de páginas traduzidos, frequentemente de parceria com a minha mulher, as mais das vezes na área das ciências sociais e humanas, e sempre no sentido Inglês-Português. (Autor português.)


TIPOS DE ASPAS

Aspas alemãs, também chamadas de aspas inglesas invertidas, são usadas nos idiomas alemão, checo, eslovaco, romeno, estoniano, búlgaro, sérvio, islandês e esloveno.
„deutsch“ ou »deutsch«

Aspas angulares invertidas, usadas nos idiomas croata e dinamarquês.
»Kopenhagen«

Aspas americanas, usadas nos idiomas inglês, hebraico, gaélico e português do Brasil (note-se, que no Reino Unido, inverte-se o uso das aspas simples e duplas).
“american style”

Aspas francesas, também chamadas de aspas angulares, são usadas nos idiomas francês, italiano, espanhol, turco, ucraniano, norueguês, letão, grego, português de Portugal e bielo-russo.
«douce France»


Aspas francesas simples
ou aspas suíças:

Aspas holandesas, usadas nos idiomas holandês, africâner, sueco e finlandês.
„Het Parole”

Aspas inglesas: 'estilo inglês'

Aspas polonesas: „estilo polonês”

Aspas suecas: ”Suécia” ou »Suécia»

Anführungszeichen in verschiedenen Sprachen
Sprache Standard Alternative Abstand zum Text
primär sekundär2 primär sekundär2
Afrikaans
„…” ‚…’
Albanisch
«…» ‹…› “…„ ‘…‚
Arabisch
«…» ‹…› “…” ‘…’
Bulgarisch
„…“ ‚…‘
Chinesisch
“…” ‘…’6
Dänisch
»…« ›…‹ “…” ‘…’
Deutsch3
„…“ ‚…‘ »…« ›…‹
Englisch
“…” 1 ‘…’ ‘…’ “…” 1–2 pt

Esperanto
“…”
Estnisch
„…” „…”
Finnisch
”…” ’…’ »…» ›…›
Französisch3
« … » ‹ … › 1 “ … ” ‘ … ’ ¼ em (PC: Leerschlag)

Griechisch
«…» ‹…› “…„ ‘…‚ 1 pt
Grönländisch

Hebräisch
“…” «…» “…„
Irisch
“…” ‘…’ 1–2 pt
Isländisch
„…“ ‚…‘
Italienisch3
«…» “…” ‘…’ 1–2 pt
Japanisch
「…」 『…』
Koreanisch
“…” ‘…’
Kroatisch
„…” »…« ›…‹
Lettisch
”…“ ”…“ "…" "…"
Litauisch
„…“ ‚…‘ "…" '…'
Niederländisch4
„…” ‚…’ “…” ’…’
Norwegisch
«…» “…”
Polnisch
„…” «…» »…« 5
Portugiesisch
“…” ‘…’ «…» ‹…› 0–1 pt
Rumänisch
„…” ‚…‘ «…» ‹…›
Russisch
«…» „…“ „…“
Schwedisch
”…” ’…’ »…» ›…›
Schweiz 3
«…» ‹…› „…“ bzw. “…” ‚…‘ bzw. ‘…’
Serbisch
„…“ ‚…‘ »…« ›…‹
Slowakisch
„…“ ‚…‘ »…« ›…‹
Slowenisch
„…“ ‚…‘ »…« ›…‹
Sorbisch
„…“ ‚…‘
Spanisch
«…» ‹…› 1 “…” ‘…’ 0–1 pt
Tschechisch
„…“ ‚…‘ »…« ›…‹
Türkisch
«…» ‹…› “…” ‘…’ 0–1 pt
Ukrainisch
«…» „…“ „…“ 1 pt
Ungarisch
„…” »…«
Weißrussisch
«…» „…“ „…“ 1 pt


Concordância: substantivo e numerais
M. T. Piacentini
"Como é certo falar: Fica Vossa Senhoria convocado para a 1ª e 2ª Sessão Extraordinária ou: para a 1ª e 2ª Sessões Extraordinárias...?"
Quando se trata da concordância do substantivo com numerais cardinais ou ordinais – há três opções corretas:
Os andares 1º e 2º
1) a 1ª e 2ª Sessão Extraordinária [subst. no sing. e só o primeiro artigo]
2) a 1ª e 2ª Sessões Extraordinárias [subst. no plural, um só artigo]
3) a 1ª e a 2ª Sessão Extraordinária [subst. no sing. com repetição do artigo]
Não se costuma colocar o substantivo no plural quando se repete o artigo definido (mais a preposição, quando for o caso) no segundo elemento, como no exemplo 3. Dito de outro modo: normalmente só se repete o artigo quando o substantivo determinado está no singular; portanto, repetindo-se o artigo não há necessidade do plural. De qualquer maneira, deve sempre prevalecer a eufonia, aquilo que soa bem.
Outro ponto: ainda que se opte pelo substantivo no plural, o artigo permanece no singular, a concordar com o numeral singular. Vejamos uma frase para exemplificar: em vez de "As 5ª e 6ª Câmaras são competentes para julgar o recurso" diga-se "A 5ª e 6ª Câmaras são competentes para julgar o recurso". Mais exemplos:
1. Peço parar no 1º e 2º andar.
2. Peço parar no 1° e 2° andares.
3. Peço parar no 1º e no 2º andar(es).
4. Dirigiu-se à quarta e quinta série.
5. Dirigiu-se à quarta e quinta séries.
6. Dirigiu-se à quarta e à quinta série.
Observemos que uma frase como "Dirigiu-se às quartas e (às) quintas séries" tem outro significado: quer dizer que existem várias séries de quarta e várias de quinta. Também é interessante notar que quando não há a determinação dos substantivos (com a, da ou à), temos duas e não três opções, sendo melhor e mais recomendável, neste caso, a alternativa singular:
1 Foram publicados livros para alunos de 1° e 2° grau.
2 Foram publicados livros para alunos de 1° e 2° graus.
3 Sua tese analisa o ensino de 1ª a 4ª série no planalto catarinense.
4 Sua tese analisa o ensino de 1ª a 4ª séries no planalto catarinense.
Quando o substantivo precede os numerais é de praxe colocá-lo no plural:
5 Leia pelo menos os capítulos 1 e 2.
6 Reformulamos os artigos 9º e 10 do projeto de lei.
7 O elevador parou nos andares 3º e 4º.
"Sempre fico em dúvida quanto ao caso de citações como: Estou enviando os ofícios números (nºs) 21 e 23 ou os ofícios nº 21 e 23."
Pode-se escrever ou dizer das duas maneiras, como vimos acima. Trata-se da mesma questão de concordância nominal entre um substantivo [a palavra número, neste caso] e dois numerais, em que o substantivo pode ir ou não para o plural:
8 Estou enviando os ofícios nº 21 e 23.
9 Estou enviando os ofícios nºs 21 e 23.

Dentre os elementos apositivos, há diversos sintagmas que indicam cor.

azul-marinho
S. m. Plural: azuis-marinhos. Ambos os tecidos são azul-marinho, mas trata-se de azuis-marinhos diferentes.
Adj.2g.2n., isto é, invariável: Usava calças azul-marinho.

azul-pombinho (azul-celeste)
S. m. Plural: azuis-pombinhos e azuis-pombinho
Adj.2g.2n., isto é, invariável.

verde-e-amarelo (verde-amarelo)
S. m. Plural: verdes-e-amarelos.
Adjetivo variável em gênero e número. Plural: verde-e-amarelos. Bandeiras verde-e-amarelas.

verde-claro
S. m. Plural: verdes-claros
Adjetivo variável em gênero e número. Plural: verde-claros. Meias verde-claras.


sem-terra
S.2g.2n. e Adj.2g.2n. (invariáveis) e apositivo. Alguns sem-terra. Uma sem-terra, duas sem-terra. Sem-terra morre em conflito. Sem-terra invadem sede do Incra. Trabalhadoras sem-terra. Manifestantes sem-terra.


fêmeo
grávido

O SN

Saussure

Art pron num adj SUBS loc. Adj (prep.+sub) ou um SN apositivo sabiá da palmeira sabiá-laranjeira



Assinale com “x” as posições que o determinante pode ocupar em relação ao núcleo do SN, buscando explicitar as diferenças decorrentes de seu posicionamento à esquerda ou à direita deste, quando mais de uma dessas posições for possível.

Tipo de determinante esq. SUBS-
TANTIVO Dir. Diferença entre
uma e outra posição
artigo definido
artigo indefinido
pronome possessivo

pronome demonstrativo

numeral
cardinal

numeral
ordinal
adjetivo
locução adjetiva
oração adjetiva
apositivo

Substantivo é a palavra que pode* ser determinada** pelo artigo.***
*Pode não é o mesmo que deve, pois os substantivos podem ocorrem com artigo definido, indefinido ou sem artigo.
** Determinado não é o mesmo antecedido. A determinação pode se dar em anteposição ou posposição, em adjunção imediata ao termo determinado, ou com a intercalação de outros elementos. Ex.: A todo-poderosa estrela entrou em cena.
– As muito apreciadas ostras de Santa Catarina.
*** Alguns substantivos não são determináveis pelo artigo, a não ser que este co-ocorra com outra espécie de determinante, o que tem implicações para a ocorrência de crase e o emprego do acento grave.
( ) Deus, mas o próprio Deus, o deus da chuva, os deuses todos
( ) BH, mas a nossa BH
( ) Brasília, mas, a Brasília de JK, a moderna Brasília, a Brasília dos anos sessenta
( ) Roma, mas a Roma dos Césares
( ) Lisboa, mas a Lisboa antiga
( ) Tiradentes, mas o heróico Tiradentes

Que tipo de informação fornecem os determinantes nos seguintes SNs?

O xerox gênero, número

Novo carro noção (nov-), gênero, número

Seus filhos pessoa do possuidor, gênero e número da coisa possuída

Meus filhos pessoa e número do possuidor, gênero e número da coisa possuída

Essa mochila é sua?
Embalagem plástica
Vidro de plástico
Duas mulheres
Casa 2
Terceiro capítulo

O réu que cometeu homicídio foi condenado.
Função recortadora (trata-se de, pelo menos, dois réus).

O réu, que cometeu estelionato, foi absolvido.
Trata-se de um só réu.

Explicite as diferenças entre as três construções a seguir:
Cheguei tarde porque
a) fui buscar ( ) menino na escola.
b) fui buscar o menino na escola.
c) fui buscar um menino na escola.


sabiá-cara-de-gato
sabiá-laranjeira
sabiá-de-barriga-vermelha
sabiá-da-palmeira
sabiá-do-sertão
sabiá-da-campina
sabiá-da-mata-virgem
ano novo (x novo ano)
ano-novo (= réveillon, 1º de janeiro, ano entrante)
ano-e-dia

[roupa vermelha] escura [roupas vermelhas] escuras
[roupa escura] vermelha [roupas escuras] vermelhas
roupa [vermelho-escura] roupas [vermelho-escuras]
roupa [vermelho escuro] roupas [vermelho escuro]

Co-ocorrência de determinantes no SN

art. def. + subst. o homem
art. def. + indef. + subst. * o um homem, um o homem
art. def. + num. + subst. o primeiro ano, a camisa dez
art. def. + poss. + subst. a minha mãe
art. def. + demonstr. + subst. * a essa mulher
demonstr. + poss. + subst. essa minha filha


Reúna os elementos a seguir (dispostos em sua forma dicionária, em ordem alfabética) num único SN, fazendo os ajustes necessários quanto às flexões de gênero e número. Em seguida indique a que classe de palavras cada um deles pertence.

1. de; 2. futebol; 3. jogador; 4. melhor; 5. nosso; 6. onze; 7. o; 8. todo.

Como se dá a determinação nos SNs a seguir? O hífen deve ser usado? Como é a formação do plural?

Hora extra
Hora aula
Vale transporte
Licença maternidade
Um sabiá do sexo feminino cuja cara lembra um gato é um ............................................

Preencha o formulário:
Nome: João da Silva.
Naturalidade: Sabará – MG.
Nacionalidade: ...........................

John Swales, american... de nacionalidade, mas brasileir... de coração...
John Swales, de nacionalidade american.....

A que classe de palavra pertence “primeiro”? E seu antônimo?

D..... milhões de pessoas assistiram ao show.
D..... mil pessoas foram ao estádio. (2.000)
Aos refugiados internos se somam as mais de d.... milhões de pessoas que se exilaram, principalmente na Síria

Casos excepcionais

A nossa Minas Gerais ....
A moderna Minas .....

o jacaré-fêmea (subst. + subst. apositivo) X
o jacaré fêmeo (subst. + adjetivo)

D..... milhões de pessoas assistiram ao show.
D..... mil pessoas foram ao estádio. (2.000)
Aos refugiados internos se somam as mais de d.... milhões de pessoas que se exilaram, principalmente na Síria.

Sobr..... 1,99 milh.... de dólares.
1,99 milh...... de dólares sobr.........


D... mil homens e d..... mil mulheres se casaram.
Silepses:

O Mangabeiras, o Estrela-d’Alva, o Nova Suíça

Hipálages:

O trinado amarelo dos canários
O esborrachar maduro dos mamões
Em Eça de Queiroz: o pensativo cigarro, o cigarro distraído, o cigarro lânguido de Adélia, as sobrancelhas meditativas, o lábio abjecto e os lábios devotos, a fenda avara, a mão libidinosa ou pacificadora e solene, o dedo subtil ou lento ou trágico ou severo, as sedas impudicas, o punho bestial, o braço concupiscente e os braços pasmados, a sala séria de tons castos, os ócios asiáticos, o leito de ferro filosófico e virginal, as tias fazendo meias sonolentas, as lojas loquazes dos barbeiros, as carambolas solitárias do Rabecaz, a lenta humidade das paredes fatais do Ramalhete, as saias ligeiras e ilegítimas dos Ecos de Paris, a nuca dócil e as alcovas favoráveis e lânguidas de A Cidade e as Serras, o chá respeitoso da Casa de Ramires, a cervejaria filosófica, o peixe austero e o raspar espavorido de fósforos da Correspondência de Fradique Mendes.



NOTA - Estudo e atividades extraídas de diversos livros didáticos de Língua Portuguesa e de apostila do meu curso de Revisão de Texto do IEC-PUC MINAS realizado por mim 2008.

ATIVIDADES DE CLASSES GRAMATICAIS DIRIGIDAS A ALUNOS QUE QUEIRAM SANAR PROBLEMAS E TREINAR PARA PROVAS DE CONCURSOS
Substantivo / adjetivo / artigo.
1- Dê as formas femininas de:
O carneiro
O cavalheiro
O genro
O homem
O marido
O padrasto
O folião
O patrão
O campeão
O cidadão
O irmão
O folião
O solteirão
O pobretão
O cantor
O pastor
O remador
O duque
O visconde
O poeta
O ermitão
O parente
O mestre
o colega
O padrinho
o patriarca
o zangão
o elefante
o mestre
o lebrão
o ermitão
o leão
o anão
o cidadão
o maestro
o solteirão
o galo
o herói
o plebeu
o judeu
o jovem
o intérprete
o selvagem
o paciente
o pianista

2-Classifique os substantivos em epicenos ou sobrecomuns:
a- A águia
b- O carrasco
c- O besouro
d- O cônjuge
e- O polvo
f- O jacaré
g- A vítima
h- O apóstolo
i- O tatu
j- A pulga
k- O indivíduo
l- O verdugo
m- O algoz
n- A sardinha
o- O rouxinol
p- O gavião
q- O condor
r- A cobra
s- A criança

3- Assinale a alternativa em que contenha substantivo, respectivamente, abstrato, concreto e concreto:
a- ( ) bruxa, fé, garota
b- ( ) saudade, fada, mão
c- ( ) saci, bruxa, garota
d- ( ) saudade, amor, garota
e- ( ) garota, saudade, amor
4- Considere esta placa de estrada “SEJA PACIENTE NO TRÂNSITO PARA NÃO SER PACIENTE NO HOSPITAL.”
A- Aponte a classe gramatical da palavra paciente nas duas ocorrências.
B- Comente a alteração de sentido que essa mudança de classe gramatical gera na frase.
5- Leia este trecho de notícia: “PORCO PASSAGEIRO NÃO É PASSAGEIRO PORCO”
Um porco passageiro alvoroçou o voo 107 da companhia US Airways, que saiu da Filadélfia com destino a Saetlle, nos EUA. Note-se que não se trata de um passageiro porco, mas de um porco passageiro mesmo. Pesando 135 quilos, ele viajou com suas duas donas [...] na primeira classe. (Revista IstoÉ. 1623,8/11/2000.)
a- Explique a diferença de sentido entre “porco passageiro” e “passageiro porco”.
b- Que alterações nas classes gramaticais geram a mudança de sentido no item a?
c- Crie um título bem-humorado para a notícia, supondo que, durante a viagem, o “ilustre” passageiro tenha feito uma enorme sujeira dentro do avião.
6- Dê o plural das palavras:
a- Varal
b- Degrau
c- Coronel
d- Troféu
e- Papel
f- Mineral
g- Carnaval
h- Pão-de-açúcar
i- Cara de fuinha
j- Pé-de-moleque
k- Guarda-chuva

7- Identifique a opção em que o uso inadequado do artigo torna incoerente o encadeamento das frases
A- O grupo sobrevoava a região num Bandeirante do Centro Técnico. O aparelho era cheio de recursos, o major gostava de pilotá-lo.
B- O grupo sobrevoava a região num Bandeirante do centro Técnico. Um aparelho era cheio de recursos, o major gosta de pilotá-lo.

8- As frases de cada par têm, entre si, sentidos diferentes devido à presença ou à ausência do artigo. Explique essa diferença.
a- 1- O explorador descobriu a cidade de ouro.
2- O explorador descobriu a cidade do ouro.
b- 1- Toda cidade deveria ser bem arborizada

2- Toda a cidade deveria ser bem arborizada


c- 1. É do conhecimento de todos que poucas leis brasileiras sobre crimes ambientais não funcionam.

2. É do conhecimento de todos que as poucas leis brasileiras sobre crimes ambientais não funcionam.

9- Leia as frases abaixo e descubra a diferença entre o artigo um e o numeral um.
a- O tratamento consiste em seis sessões – uma por semana. Na primeira, o paciente passa por uma avaliação para identificação, pelo especialista, das causas comportamentais ou psicológicas do problema.
b- “Uma pandemia é como uma máquina de dois motores.” Explicou Ryan à Folha.
c- “Um dos motores já foi acionado. Estamos monitorando se aparecer um segundo.”























Revisão de Gramática – Adjunto Adnominal
ADJUNTO ADNOMIANA l
É o termo da oração que sempre se refere a um substantivo. Vem representado por artigos, adjetivos, locuções adjetivas, pronomes adjetivos e numerais. Os adjuntos adnominais modificam o substantivo, qualquer que seja a função que ele exerça na oração.
Exemplos:
1) Adjetivos
- O alegre espetáculo começou tarde.
Alegre: Adjunto Adnominal
Espetáculo: Substantivos
- Meninos tristes chegaram.
Tristes: Adjunto Adnominal
Meninos: Substantivos
- As construções antigas eram mais trabalhadas artisticamente.
Antigas: Adjunto Adnominal
Construções: Substantivos

2) LOCUÇÕES ADJETIVAS
Era uma noite de inverno.
De inverno: hibernal
Noite: substantivo.
De inverno: Adjunto Adnominal (Loc. Adj.)

3)PRONOMES ADJETIVOS
Você pegou meu livro.
Meu: AA
Livro: Substantivo.

4) NUMERAIS
Conheço aqueles dois alunos.
Dois: AA

5) ARTIGO
Onde estão os alunos?
Os: AA
Alunos: Subst.
Os fogos iluminavam a noite.
Os: AA
A: AA
Conheci umas pessoas maravilhosas
Umas: AA
O meu estimado vizinho comprou dois papagaios.
O/ meu/ estimado/ dois: adjuntos adnominais
Vizinho/ papagaio: substantivos
As pipas coloridas contrastavam com o céu azul.
As/ coloridas/ o/ azul: AA
Pipas/ céu: subst.

RELEMBRANDO

LOCUÇÃO ADJETIVA
Lembrando: Locução adjetiva é a expressão que exerce a função de um adjetivo.
Noite de tempestade: noite tempestuosa
Pessoa com fome: pessoa faminta

PRONOME ADJETIVO
Lembrando: O pronome adj. acompanha o subst. com o qual se relaciona.
Trouxe o meu livro.
Meu: Pronome Adjetivo.
Livro: substantivo
Alguns alunos estudam o suficiente.
Alguns: PA
Alunos: substantivo.
Tem o mesmo valor que um adjetivo, já que detém a função de caracterizar e qualificar um substantivo.
As locuções adjetivas reúnem em sua estrutura mais de uma palavra como uma preposição e um substantivo ou preposição e um advérbio, sendo que os dois juntos equivalem a um adjetivo.
Exemplos:
- Amor de gelo.
- Dia de chuva.
- Futebol do Brasil.
- Jornal de ontem.
Algumas locuções adjetivas possuem os seus respectivos adjetivos:
LOCUÇÃO ADJETIVA ADJETIVO
de abelha apícola
de abdômen abdominal
de ano anual
de asno asinino
de astro sideral
de audição ótico
de boca bucal
de cão canino
de estrela estelar
de face facial
de gado pecuário
de gato felino
de gelo glacial
de guerra bélico
de junho junino
de lua lunar
de mãe
maternal
de pai
paternal
de páscoa pascal
de pombo columbino
de rim renal
de serpente ofídico
de sol solar
de tarde vespertino
de verão estival
sem piedade impiedoso

ATIVIDADE: Leia e crie dois exemplos semelhantes aos apresentados acima, no caderno.

1- Após ler os lembretes, resolva os exercícios seguintes:

LEMBRETE 1;
SUJEITO é o termo que denota o ser a respeito de quem ou de que se faz uma declaração.
Exemplo: A cela da delegacia está cheia.;
Os habitantes de Ibirité lutam para a melhoria da cidade.

LEMBRETE 2:
PREDICADO é tudo aquilo que se declara a respeito do sujeito. No predicado sempre existe um verbo e esse verbo concorda com o sujeito. Sujeito composto ou no plural, o verbo também fica no plural; sujeito simples ou no singular, verbo também fica no singular.
Exemplo: A cela da delegacia está cheia.;
Os habitantes de Ibirité lutam para a melhoria da cidade.

LEMBRETE 3: O sujeito pode ser representado por:
-Substantivo ou palavra substantivada – Língua afiada separa bons amigos;
-Pronome pessoal reto – Eu sou útil para minha família;
-Pronomes: demonstrativo, relativo, interrogativo ou indefinido – Aquilo não te pertence, Lemos aquilo que noticiaram o fato, Quem fala de você?, Todos têm um segredo;
-Numeral – Os dois foram tomar água e não voltaram;
-Pronomes pessoais oblíquos – Mandei-o sair; Permitiram-me falar;
-Oração chamada de oração subordinada substantiva subjetiva (funciona como sujeito de uma oração expressa anteriormente na mesma frase, que você não estudou ainda) – É possível viver sem o auxílio dos políticos.

LEMBRETE 4:
Os tipos de sujeito são:
Determinado: é o sujeito que pode ser identificado pela terminação do verbo ou pelo contexto em que aparece.
Indeterminado: é o sujeito que não pode ser identificado nem pelo contexto nem pela terminação do verbo – ocorrem com verbos na 3ª pessoa do plural, desde que o contexto não permita identificá-lo – ex: Na sala discutiram agora a hora do lanche. (quem discutiu? Não sabemos)
- ocorrem com verbos na 3ª pessoa do singular acompanhados da partícula se: Come-se bem neste restaurante. (quem é que come bem neste restaurante? Não sabemos)
-Inexistentes: às vezes o predicado da oração não se refere a nenhum elemento. Por isso, a oração não tem sujeito. Nesse caso, o verbo é considerado impessoal e está sempre na 3ª pessoa do singular- Fará sol; (fenômeno meteorológico); -a fazenda foi criada há quinze anos. ( verbo fazer e o verbo haver indicando tempo decorrido); - Eram duas horas da tarde. Da fazenda á cidade seriam dois quilômetros. ( verbo ser indicando tempo e distância) – Há fartura de alimentos na cidade. Havia pouca gente na sala. ( verbo haver empregado no sentido de existir) nesse caso é comum o verbo haver ser substituído pelo verto ter por isso continua sendo oração sem sujeito )- Passava de quatro horas ( verbo passar indicando tempo) – parece inverno! , ficou escuro (verbos passar e ficar indicando fenômenos) – chega de fofocas , basta de lamúrias (verbos bastar e chegar seguido da preposição de).

OBSERVAÇÃO: há matérias que eu poderia passar para você, mas ficaria muito o acúmulo de atividade e de leitura. Por isso leia mais de uma vez e resolva com muita atenção aos exercícios para realmente aprender pelo menos esta. ( Porf.: Isnaldo Esteves Vieira).

ATIVIDADES:

1- Recorte em revistas ou jornais textos e sublinhe de vermelho os sujeitos, numerando-os e indicando cada tipo conforme o orientado.
2- Faça o mesmo para marcar os predicados, só que, o sublinhado tem de ser com outra cor. Cole essas atividades em folha de ofício ou a4 e me entregue até a data combinada.

Esse trabalho servirá de estudo para a prova. Bom Trabalho!
- Concordância nominal nada mais é que o ajuste que fazemos aos demais termos da oração para que concordem em gênero e número com o substantivo.

- contíguo a - paralelo a
- curioso a, de - propício a
- falto de - sensível a
- incompatível com - próximo a, de
- inepto para - satisfeito com, de, em, por
- misericordioso com, para com - suspeito de
- preferível a - longe de
- propenso a, para - perto de
- hábil em - perto de

Atividade:

1- Reescreva as frases seguintes, substituindo o que estiver em destaque pela palavra colocada entre parênteses. Faça a adaptação necessária:
a) Dirigiu-se grosseiramente ao pobre viúvo. (viúva)
b) Sua condenação está associada a fatos pecaminosos. (coisas)
c) Você acha que isso vale o sacrifício? ( pena)
d) Quanto ao padrinho, ele escolhera uma pessoa mais velha. (madrinha)
e) Emília resignou-se ao destino. (sorte)
f) Ao lado do rio ergue-se o velho ingazeiro. (margem)
g) Ele leva repetidamente a mão ao ombro. (cabeça)
h) Persistem as dúvidas quanto ao estado civil do criminoso. (identidade)
i) O trem passava ao meio-dia. (13h10m)
j) Uma delegação de padeiros vem prestar seu apoio aos filhos dos grevistas. (mulheres)
k) Sinhá Vitória deseja possuir um móvel igual ao de seu Tomás da bolandeira. (cama)
l) A falta de chuvas vem provocando todo tipo de seqüelas ao comércio. (lavouras )
m) Resisti o quanto pude ao corte das árvores. (derrubada)
n) Era apenas uma alusão saudosa a outro tempo. (época)
o) Olho o quadro e penso: que tristeza! (notícia)
p) Nunca deverias ter ido a Estocolmo. (Lisboa)
q) Isso é o que pretendo contar ao sacerdote. (vossa Reverendíssima)
r) Chegaríamos ao lar no dia seguinte. (casa )
s) Chegaríamos ao lar de Dona Floripes no dia seguinte (casa)

2- Faça o mesmo:

a) Era difícil contar ao pessoal o que tinha acontecido. (aquela gente)
b) Sonhei com o aniversário ao qual, por certo, ela viria. (festa)
c) Chorava como um bebê a quem se negou um brinquedo. (criança)
d) De madrugada talvez o filho ainda o procurasse. (aquela hora)
e) Este é o promotor a quem enviei o telegrama. (mulher)
f) Este colégio é semelhante ao que eu freqüentava. (escola)
g) Virá comigo o velhinho a quem devo tantos favores. (velhinha)
h) Não se pode pedir educação social a um povo ao qual ainda não foi concedido um certo número elementar de benefícios coletivos. (gente )

Atividade

1. (IBGE) Assinale a opção que apresenta o emprego correto do pronome, de acordo com a norma culta:
a) O diretor mandou eu entrar na sala. b) Preciso falar consigo o mais rápido possível.
c) Cumprimentei-lhe assim que cheguei. d) Ele só sabe elogiar a si mesmo.
2. (IBGE) Assinale a opção em que houve erro no emprego do pronome pessoal em relação ao uso culto da língua:
a) Ele entregou um texto para mim corrigir. b) Para mim, a leitura está fácil.
c) Isto é para eu fazer agora. d) Não saia sem mim.
3. (BRÁS CUBAS) "Alguém, antes que Pedro o fizesse, teve vontade de falar o que foi dito." Os pronomes assinalados dispõem-se nesta ordem:
a) de tratamento, pessoal, oblíquo, demonstrativo b) indefinido, relativo, pessoal, relativo
c) demonstrativo, relativo, pessoal, indefinido d) indefinido, demonstrativo, demonstrativo, relativo
4. (FUVEST) Assinale a alternativa onde o pronome pessoal está empregado corretamente:
a) Quanto voltei a si, não sabia onde me encontrava. b) Entre eu e tu não há mais nada.
c) A questão deve ser resolvida por eu e você. d) Para mim, viajar de avião é um suplício.
5. (PUC) Assinale a alternativa que preencha corretamente as lacunas da frase ao lado: "............................ da terra natal, ....................... para as antigas sensações adormecidas."
a) Nos lembrando - despertamos-nos b) Nos lembrando - despertamo-nos
c) Lembrando-nos - despertamo-nos d) Nos lembrando - nos despertamos
6. (FATEC) Assinale o mau emprego do pronome:
a) Aquela não era casa para mim, comprá-la com que dinheiro? b) Entre eu e ela nada ficou acertado.
c) Estava falando com nós dois. d) Aquela viagem, quem não a faria?
7. (UM-SP) Ninguém atinge a perfeição alicerçado na busca de valores materiais, nem mesmo os que consideram tal atitude um privilégio dado pela existência. Os pronomes destacados no período acima classificam-se, respectivamente, como:
a) indefinido - demonstrativo - relativo - demonstrativo b) indefinido - pessoal oblíquo - relativo - indefinido c) de tratamento - demonstrativo - indefinido - demonstrativo d) de tratamento - pessoal oblíquo - indefinido - demonstrativo
8. (UEPG-PR) "Toda pessoa deve responder pelos compromissos assumidos." A palavra destacada é:
a) pronome adjetivo indefinido b) pronome substantivo indefinido
c) pronome adjetivo demonstrativo d) pronome substantivo demonstrativo
9. UFRJ – CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA – AUXILIAR JUDICIÁRIO
O item em que o antecedente do pronome relativo está corretamente indicado é;
a) Agora mesmo está nas telas uma risonha Regina Duarte grata à confiança que a população deposita nos Correios. ( que – Regina Duarte);
b) O festival de autocongratulação consumiu boa parte dos 120 milhões de reais que o governo (só a administração direta) gastou no ano passado.( que – festival);
c) Há muitas comparações que não deixam dúvidas sobre o que produz melhores resultados. (que – muitas);
d) ‘ ... ou muito menos para anunciar a existência de uma Ouvidoria que acolhe queixas da população contra barbaridades policiais? ( que – Ouvidoria):

10. FESP – TRIBUNAL DE ALÇADA CÍVEL – AUXILIAR JUDICIÁRIO

“Deram-me, ontem, um novo endereço da loja.”
“As referências desta loja não foram boas.”
O pronome relativo que estabelece uma relação sintática entre os dois períodos, transformando-os num só, é:

a) que
b) cujas
c) quais
d) as quais


ORIENTAÇÕES
Verifique se seu exemplar está completo
Leia atentamente as questões antes de fazer a prova
Responda a prova à tinta (azul ou preta)
Não cometa rasuras pois elas anularão a questão. Não use corretivo

1- Assinale a alternativa em que só ocorrem substantivos femininos:
a. ( ) cal, alface, elefonema.
b. ( ) bílis, cataplasma, apenicite.
c. ( ) plasma, bólide, dinamite
d. ( ) dó, telefonema, faringe.
e. ( ) aneurisma, cataplasma, alvará.

2- Indique a alternativa em que o substantivo destacado não esteja exercendo uma função de qualificação (função adjetiva)
a. ( ) "Noite-montanha. Noite vazia. Noite indecisa. Confusa noite." (Carlos Drummond de Andrade)
b. ( ) "Não sou alegre nem triste: sou poeta." (Cecília Meireles)
c. ( ) "A moça professora, com todas as suas belezas, esperava na sala de visitas (...)" ( José Câdido de Carvalho)
d. ( ) "A agressiva cidade vai prdendo o contorno e o significado." (Cecília Meireles)

3- Cáfila, matilha, alcatéia, manada são coletivos, respectivamente, de:
a.( ) camelos, cães, lobos, cavalos.
b.( ) insetos, cabras, lobos, cavalos.
c.( ) moscas, carneiros, lobos, bois.
d.( ) gafanhotos, cães, ladrões, bois.
e.( ) nenhuma das alternativas acima.

4- Assinale a alternativa que contém a exata classificação dos substantivos pessoa, barata, lojista, abelha:
a.( ) sobrecomum, epiceno, comum-de-dois, heterônimo.
b.( ) epiceno, comum-de-dois, heterônimo, sobrecomum
c.( ) comum-de-dois, heterônimo, sobrecomum, epiceno.
d.( ) heterônimo, sobrecomum, comum-de-dois, epiceno.
e.( ) sobrecomum, heterônimo, epiceno, comum-de-dois.

5- O termo destacado é um nome desempenhando a função de adjetivo em:
a.( ) Às vezes, iam com ele alguns companheiros; às vezes, ele ia só.
b.( ) Dentro em pouco uma fumacinha apontava longe.
c.( ) Ele apanhou a estrada bastante mais movimentada.
d.( ) Então ganhava rápido a superfície, sabendo que um segundo mais e morreria.
e.( ) Olhava para o próprio sexo que mal ocava a superfície.

6- Assinale a oração em que o termo cego (s) é um adjetivo:
a.( ) "Os cegos, habitntes de um mundo esquemático, sabem aondeir..."
b.( ) "O cego de Ipanema representava naquele momento todas as alegorias da noite escura da alma..."
c.( ) "Todos os cálculos do cego se desfaziam na turbulência do álcool."
d.( ) "Naquele instante era só um pobre cego."
e.( ) "...da terra que é um globo cego girando no caos."

7- Assinale a alternativa correspondente à classe gramatical da palavra a, respectivamente:
Esta gravata é a que recebi;
Estou disposto a tudo;
Fiquei contente com a nota;
Comprei-a logo que vi.
a.( ) artigo - artigo - preposição - preposição
b.( ) preposição - artigo - pronome demonstrativo - artigo.
c.( ) pronome demonstrativo - preposição - artigo - pronome pessoal.
d.( ) pronome pessoal - preposição - artigo - pronome pessoal.
e.( ) nenhuma das alternativas.

8- Leia o texto e responda à questão seguinte:

Um texto frio e calculista
Carlos estava lendo confortavelmente sentado na classe turística de um avião lotado, quando a aeromoça suavemente anunciou:
- Atenção, senhores passageiros. O comandante solicitou informá-los de que a turbina esquerda da aeronave acabou de emperrar. Tenho a impressão de que já estamos caindo. Leiam detalhadamente as instruções que estão na página 13 do 'manual do sobrevivente', que pode ser encontrado no bolso lateral do banco do passageiro. Com muita calma, sigam os procedimentos de emergência passo a passo. Após, coloquem o pára-quedas que estão guardados embaixo dos assentos e encaminhem-se à porta de emergência para, então, pularem. Neste momento, estamos a uma altitude de mil e quinhentos pés. Queremos também comunicar que a temperatura externa é de zero grau, em conseqüência de uma frente fria vinda da Argentina. Como último aviso, solicitamos que não se aglomerem nas portas de emergência, evitando tumultos. Tenham um bom regresso! Ah, estamos caindo em alto-mar. Maria Martha, sua comissária de bordo.
Carlos terminou de beber seu guaraná, guardou seu livro na bolsa e colocou o pára-quedas. Aproximou-se da porta de emergência e saiu do avião.

a) O que há de errado e o que se pode falar sobre a verossimilhança deste texto? O que podemos acrescentar ou omitir para torná-lo mais convincente?

b) Aponte os elementos da narrativa:
Narrador:
O que aconteceu:
Quando:
Como:
Com quem:


Teremos que alterar, portanto, o artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome.
Regência Nominal é o nome da relação entre um substantivo, adjetivo ou advérbio transitivo e seu respectivo complemento nominal. Essa relação é intermediada por uma preposição.
No estudo da regência nominal, deve-se levar em conta que muitos nomes seguem exatamente o mesmo regime dos verbos correspondentes.
Conhecer o regime de um verbo significa, nesses casos, conhecer o regime dos nomes cognatos.
- alheio a, de - liberal com
- ambicioso de - apto a, para
- análogo a - grato a
- bacharel em - indeciso em
- capacidade de, para - natural de
- contemporâneo a, de - nocivo a


Leia o texto abaixo e responda às questões que a ele se referem:

(RIBEIRO, João Ubaldo. Nós também já fomos. O Globo, Rio de Janeiro, 17 jan 1999. c. 1 , p. 6.)

Vocabulário:
Algozaria – Ação própria do algoz; crueldade.
Catadura – Semblante, aspecto, aparência.
Nênia – Canto fúnebre; canção plangente, melancólica.
Y compris (francês) – Incluindo.
Home theater (inglês) – Disposição de aparelho sonoro que dá aos ouvintes sensação de som ao vivo.


01.“Como lemos nos jornais que os adolescentes revoltados esquartejam pais e avós, entram para seitas orientais que preceituam a abstenção de banhos ou erigem Átila como modelo, cabe nos resignarmos e nos refugiarmos num quarto acusticamente isolado.” (§ 5)

A escolha do nome Átila é muito significativa para o sentido que o autor dá a seu texto. Isto ocorre porque tal nome está associado à idéia de:

a) perseverança.
b) erotismo.
c) inteligência.
d) vandalismo.
e) coragem.

02. “Não, nunca fomos assim, hoje em dia é muito diferente.” (§ 2)
“Não, nunca fomos assim, no nosso tempo era diferente.” (§ 11)
O autor retoma, no § 11, com ligeira alteração, a sentença do § 2, ambas transcritas acima. Nesse segundo momento, sua intenção é mostrar que:

a) os jovens de sua geração eram mais rebeldes do que os de hoje.
b) os jovens de hoje são mais mal educados do que os de sua geração.
c) os jovens de hoje praticam ações mais criativas do que os de sua geração.
d) os jovens praticam ações insólitas, que variam contudo ao longo do tempo.
e) os jovens reagem às atitudes opressivas dos pais e professores, tendo sido contudo mais violentos no passado.


03. “Deste jeito não dá, reclamam invariavelmente; deste jeito o mundo vai acabar, com essa dissolução de costumes, esse desapego aos valores mais básicos, essa permanente afronta ao estabelecido e sedimentado através de longa experiência.” (§ 1)

Das ações abaixo, aquela que, de acordo com o sentido do texto, NÃO serve como ilustração para a passagem acima é:

a) mirar com rifle a caixa de som.
b) jogar tênis e camisetas pelo chão.
c) aumentar o volume da televisão para entender o que dizem nas programações.
d) entrar para seitas orientais que preceituam a abstenção de banhos.
e) deixar a pia da cozinha cheia de garrafas de água e cubas de gelo vazias.
04. “IRONIA [Do gr. eironeía, 'interrogação', 'dissimulação', pelo lat. ironia.] S. f.: Modo de exprimir-se que consiste em dizer o contrário daquilo que se está pensando ou sentindo, ou por pudor em relação a si próprio ou com intenção depreciativa e sarcástica em relação a outrem.” (Dicionário Aurélio – Século XXI)

Em várias passagens do texto, o autor se vale da ironia, produzindo efeito humorístico. Das passagens abaixo, aquela que NÃO apresenta efeito irônico é:
a) “Mártir da ciência e do conhecimento, menciono algumas [...].” (§ 4)
b) “Estou convicto de que o sentido da audição só completa seu aparato com a maturidade.” (§ 5)
c) “[...] e, muito justamente, se revoltam.” (§ 5)
d) “Quando reclamei a meu filho de 17 anos, ele me apontou uma solução óbvia, que minha obtusidade anciã não me deixava perceber.” (§ 6)
e) “Ela deu uma corridinha, se afastando de mim em grande embaraço.” (§ 10)


05. Tendo em vista o sentido global do texto, é CORRETO afirmar que o autor:

a) critica, de forma implacável, a rebeldia dos jovens modernos.
b) descreve, de modo humorístico, o comportamento usual dos adolescentes.
c) exemplifica, de forma irada, as atitudes de apatia e de afrontamento da atual juventude.
d) explica, de maneira cômica, as razões por que há tanto desentendimento entre pais e filhos.
e) compara, de modo tendencioso, o procedimento dos jovens atuais com os de geração anterior.

06. “– A luz é só pagar – disse ele. – E, os aparelhos, é só comprar novos.” (§ 7)

Ao ouvir do filho que “– A luz é só pagar”, é CORRETO afirmar que o pai:

a) ficou satisfeito com o raciocínio lógico do filho.
b) reagiu aceitando ironicamente a solução simplista do filho.
c) ouviu “pagar”, quando o que o filho de fato dissera foi “apagar”.
d) mudou imediatamente de assunto diante dos problemas maiores que teria ainda de enfrentar.
e) pensou que o filho estivesse, na verdade, fazendo um trocadilho debochado, substituindo “apagar” por “pagar”.


07. “Conheço vários pais que rogam praga – aqui se faz, aqui se paga; [...].” (§ 3)
“Aqui se faz, aqui se paga, pensando bem.” (§ 11)

A reiteração da praga ao final do texto serve para mostrar que:

a) pragas não devem jamais ser rogadas.
b) pragas servem como instrumento de consolo.
c) o autor se sente, ele próprio, vítima da praga.
d) o autor concorda que não deveria ter rogado a praga no passado.
e) o autor reconhece ser justo rogar determinadas pragas contra os filhos.

08. A alternativa em que a palavra em negrito NÃO é sinônima da que aparece sublinhada em passagem do texto é:

a) “[...] algum mais velho anota comentários desalentados sobre a juventude.” (§ 1) / desanimados.
b) “Mas quiçá encontremos algum consolo e esperança [...].” (§ 4) / talvez.
c) “[...] um brioso adolescente, nosso vizinho, que no momento espalha seu som por toda a Zona Sul do Rio de Janeiro.” (§ 5) / abusado.
d) “Isso se estende a muitas atividades que me são vedadas [...].” (§ 10) / proibidas.
e) “Inadvertidamente, eu a tinha feito pagar um mico indelével [...].” (§ 10) / indestrutível.


09. A alternativa em que se destaca ERRADAMENTE a palavra ou expressão a que se refere o termo sublinhado é:

a) “Penso nisto enquanto procuro conter as nênias de horror que me tumultuam o peito fatigado [...].” (§ 3) / que já fomos nenéns e adolescentes.
b) “Conheço vários pais que rogam praga – aqui se faz, aqui se paga; quando doer no bolso deles, aí é que eles vão ver [...].” (§ 3) / dos pais.
c) “Penso nisso e baixo a mira do rifle que já endereçava às caixas de som do home theater de um brioso adolescente [...].” (§ 5) / nas ações violentas ou inusitadas dos adolescentes.
d) “Perfeitamente, como não me havia ocorrido isso antes?” (§ 8) / que era só pagar a luz e comprar aparelhos novos.
e) “Inadvertidamente, eu a tinha feito pagar um mico indelével [...].” (§ 10) / a filha caçula.

10. O autor se vale de palavras ou expressões altamente sugestivas, de valor conotativo. Assinale a alternativa em que a conotação atribuída à palavra ou expressão sublinhada NÃO condiz com o sentido geral do texto:

a) “[...] e outros vestígios que a adolescência deixa em seu rastro [...].” (§ 3) / sugere animalidade.
b) “[...] deixa ele casar com uma megera, que ele vai ver o que é bom para a tosse [...].” (§ 3) / sugere enfrentamento das conseqüências de procedimento incorreto ou errôneo, sobre o qual foi advertido.
c) “[...] e talvez já nem estejamos neste vale de lágrimas, quando se concretizarem.” (§ 4) / sugere vida sofrida.
d) “Mártir da ciência e do conhecimento, menciono algumas, despretensiosamente e sem ordem de importância.” (§ 4) / sugere conhecimento adquirido à custa de muito sofrimento.
e) “Outra passa a sanduíches e cata meticulosamente qualquer prato de natureza diversa, enquanto se queixa da algozaria do destino, que a submete a um regime inaceitável para qualquer pessoa normal [...].” (§ 8) / sugere barulho, gritaria, confusão.


11. “E eles pagam mico.” (§ 10)

Da leitura do parágrafo, pode-se depreender que os filhos na verdade pagam mico, isto é, colocam-se em situação embaraçosa ou vexatória, porque:

a) crêem que os pais estão zombando deles.
b) acham ridículo os pais tentarem parecer jovens.
c) temem ser ridicularizados devido a determinadas ações dos pais.
d) julgam que os pais não sabem dançar ou cantarolar a música atual.
e) sentem aflorar o complexo de inferioridade característico de todo adolescente.
12. “As pragas podem até colar, mas não têm efeito retroativo [...].” (§ 4)

Das alterações processadas na passagem acima, assinale aquela em que ocorre substancial mudança de sentido:

a) Embora as pragas possam até colar, não têm efeito retroativo.
b) Dado que as pragas podem até colar, não têm efeito retroativo.
c) As pragas podem até colar; não têm, contudo, efeito retroativo.
d) As pragas não têm efeito retroativo, apesar de poderem até colar.
e) As pragas, não obstante poderem até colar, não têm efeito retroativo.


13. “Como disse o famoso pensador Alfred E. Neumann, o mal da nova geração é que não pertencemos mais a ela.” (§ 1)
“Como lemos nos jornais que os adolescentes revoltados esquartejam pais e avós, entram para seitas orientais que preceituam a abstenção de banhos ou erigem Átila como modelo, cabe nos resignarmos e nos refugiarmos num quarto acusticamente isolado.” (§ 5)

O conectivo “como” aparece, nas passagens acima, significando respectivamente:

a) Segundo / Já que.
b) Tal qual / Quando.
c) Conforme / Sempre que.
d) Consoante / Da mesma maneira que.
e) Do mesmo modo que / Uma vez que.

14. “Outra só come o que, a cada dia, lhe ditam entidades para nós misteriosas, cuja única coerência é rejeitar tudo o que na semana passada era uma delícia.” (§ 8)

Das alterações ocorridas na passagem acima, assinale aquela em que há ERRO no emprego do pronome relativo:

a) Outra só come o que, a cada dia, lhe ditam entidades para nós misteriosas, nas quais invariavelmente acredita.
b) Outra só come o que, a cada dia, lhe ditam entidades para nós misteriosas, sob cuja orientação organiza seu cardápio.
c) Outra só come o que, a cada dia, lhe ditam entidades para nós misteriosas, com quem jamais discorda.
d) Outra só come o que, a cada dia, lhe ditam entidades para nós misteriosas, a que sempre se refere com euforia.
e) Outra só come o que, a cada dia, lhe ditam entidades para nós misteriosas, em cujo saber deposita plena confiança.


15. Assinale a alternativa em que há ERRO na conversão da voz ativa para a passiva (ou vice-versa):

a) “[...] como bem poderão testemunhar pais de adolescentes e de ex-adolescentes” (§ 3) / como bem pais de adolescentes e de ex-adolescentes poderão ser testemunhas.
b) “[...] para que eles possam entender o que se fala na TV, necessitam de um volume suficiente para abafar três trios elétricos” (§ 5) / para que possa ser por eles entendido o que se fala na TV, necessitam de um volume suficiente para abafar três trios elétricos.
c) “Outra só come o que, a cada dia, lhe ditam entidades para nós misteriosas [...].” (§ 8) / Outra só come o que, a cada dia, lhe é ditado por entidades para nós misteriosas.
d) “Éramos obrigados a conceber e preparar um menu para cada um [...].” (§ 9) / Obrigavam-nos a conceber e preparar um menu para cada um.
e) “E como me considerava o mais infeliz dos homens, por ser forçado a tomar sopa em jantares de cerimônia?” (§ 11) / E como me considerava o mais infeliz dos homens, por me forçarem a tomar sopa em jantares de cerimônia?
16. “Penso nisto enquanto procuro conter as nênias de horror que me tumultuam o peito fatigado [...].” (§ 3)
O verbo “conter” conjuga-se pelo verbo “ter”, do qual deriva. Assinale a alternativa em que há ERRO na conjugação do verbo derivado em destaque:

a) Os pais abstiveram-se de falar dos filhos na reunião.
b) Os jovens se mantinham em grupo, isolados dos mais velhos.
c) Seria bom que os rapazes se entretessem ouvindo música mais baixo.
d) O professor da turma às vezes retém a garotada na escola por motivos banais.
e) Os professores trabalharão melhor se contarem com a simpatia dos jovens e obtiverem o seu apoio.


17. “Penso nisto enquanto procuro conter as nênias de horror que me tumultuam o peito fatigado [...].” (§ 3)

A alternativa em que o pronome pessoal “me” aparece empregado com valor possessivo, como na sentença acima, é:

a) Meus filhos me são gratos.
b) Meus filhos me ouvem os conselhos.
c) Meus filhos me desobedecem sempre.
d) Meus filhos me causam preocupações.
e) Meus filhos me convidam para suas festas.

18. Das alterações processadas em passagens do texto, assinale aquela em que há ERRO de concordância verbal:

a) “Perfeitamente, como não me havia ocorrido isso antes?” (§ 8) / Perfeitamente, como não me haviam ocorrido tais soluções?
b) “Trata-se da circunstância de que um não come carnes” (§ 8) / Trata-se das mais variadas circunstâncias.
c) “Todos eles pagam mico por nossa causa.” (§ 10) / A maioria deles paga mico por nossa causa.
d) “Faz-se apenas uma pequena despesa, que não é nada diante dos ganhos de tranquilidade e paz obtidos.” (§ 9) / Fazem-se apenas algumas pequenas despesas, que não são nada diante dos ganhos de tranquilidade e paz obtidos.
e) “[...] como bem poderão testemunhar pais de adolescentes e de ex-adolescentes.” (§ 3) / como o pai de adolescentes e o de ex-adolescentes poderá testemunhar.

19. “Como disse o famoso pensador Alfred E. Neumann, o mal da nova geração é que não pertencemos mais a ela.” (§ 1)
“Isso nos preocupava, porque tornava impossível organizar uma mesa de almoço ou jantar.” (§ 9)
É frequente a confusão que se faz entre mal e mau, bem como entre porque e por que. Assinale a alternativa em que a palavra em destaque aparece grafada com ERRO:

a) Não leve a mal o que dizem os seus filhos.
b) Minha filha caçula está sempre de mau humor.
c) Os jovens agem desse modo porque se sentem inseguros.
d) O problema da falta de comunicação entre pais e filhos vai de mau a pior.
e) Para muitos pais, é difícil entender por que seus filhos agem com tanta rebeldia.

20. Assinale a alternativa em que a concordância do termo em destaque está em DESACORDO com os padrões da língua culta:
a) O tênis e as camisetas estavam imundos.
b) O pai qualificou de absurdas as reivindicações do filho.
c) Muitos filhos consideram ultrapassado a maneira de dançar do pai.
d) Coroa, amanhã eu lhe devolvo a camiseta que levei emprestada ontem.
e) As cubas de gelo e as garrafas de água foram largadas sobre a pia da cozinha.


ATIVIDADE DE PRONOMES DE PROVAS OBTIDAS NA WEB(com respostas)

EXERCÍCIOS PRELIMINARES:
PRONOMES:
EMPREGO E COLOCAÇÃO


1) ACCESS – TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – RIO DE JANEIRO

A substituição do termo grifado por um pronome pessoal está correta, de acordo com o nível culto, em:

a) Cantaremos todas as canções.
Cantaremo-las
b) Peço-te que não respondas aos mais velhos.
Peço-te que não os respondas.
c) Nós encontramos nossos amigos na reunião.
Nós encontramos-os na reunião.
d) Põe a cama no quarto.
Põe-na no quarto.
e) Vamos comprar os livros na cidade.
Vamos comprar-los na cidade.

2) ESAF – AUDITOR FISCAL DO TESOURO NACIONAL

Indique o período que apresenta colocação pronominal contrária às regras da norma padrão.

a) Causou-lhe decepção a reação inesperada da irmã, embora não lhe ficasse querendo mal por isso.
b) Ai! Nem me quero lembrar dos dias em que andavam se agredindo sem quê nem porquê!
c) Ninguém dirigiu-se ao chefe, em ocasiões como aquela, dando-se ares de tanta importância!
d) Depois de algum tempo, os amigos se reencontraram, muitos sem nem o terem desejado.
e) Nunca lhe darei tanto dinheiro, que o faça tornar-se um beberrão.

3) ESAF – TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – ATENDENTE JUDICIÁRIO

Assinale a alternativa correta quanto ao emprego de pronomes.

a) José, espere-me um pouco; eu quero ir consigo à audiência.
b) Ele não mim informou da presença do juiz eleitoral na cerimônia.
c) A mim me parece que a constituição deve ser referendada por um plebiscito.
d) Lembro-me de ti a todo momento; sinto uma profunda saudade de você.
e) Já recebi o recado de que aqueles processos são para mim despachar.

4) ESAF – CONSELHO DE JUSTIÇA FEDERAL

Marque a alternativa em que há erro quanto à colocação de pronome oblíquo átono.

a) Para Josefa, que encorajou-me a repetir estas histórias, ofereço este livro.
b) Pedro arriou o feixe de lenha, voltou-se para os filhos e sorriu.
c) Infelizmente, não lhe foi possível dominar as divagações.
d) As linhas irregulares da costura tumultuaram-se no avesso da roupa.
e) O esgotamento, confundiu-se com a fome, ia envolvendo o velho lenhador.

5) FESP – TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL

“Já o mesmo não se pode dizer de um serviço de bondes”
Das alterações feitas na frase acima, aquela em que a colocação do pronome átono sublinhado contraria a norma culta do português contemporâneo do Brasil é:

a) Já o mesmo não se haveria de dizer de um serviço de bonde.
b) Já o mesmo não estaria se dizendo de um serviço de bonde.
c) Já o mesmo não deveria-se dizer de um serviço de bonde.
d) Já o mesmo não poderia dizer-se de um serviço de bonde.
e) Já o mesmo não teria se dito de um serviço de bonde.

6) ACCESS – TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – AGENTE ADMINISTRATIVO

Na passagem “De repente, foi assaltada por um adolescente, que a roubou ... ” o pronome pessoal oblíquo está em posição proclítica.
Segundo a norma culta, esta é a colocação correta, porque:

a) a oração é iniciada por palavra interrogativa
b) há uma palavra de valor negativo na frase
c) o verbo não está no futuro do presente
d) a oração é subordinada desenvolvida
e) há um advérbio antes do pronome

7) UFRJ – TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL – TAQUÍGRAFO

Considerando a substituição da expressão grifada por um pronome oblíquo e as alterações propostas para a forma de tratamento do trecho a seguir, a opção em que a frase está correta é: “Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.” (SAINT-EXUPÉRY)

a) Foi o tempo que perdeste com tua rosa que a fez tão importante.
b) Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fê-la tão importante.
c) Foi o tempo que perdestes com vossa rosa que fê-la tão importante.
d) Foi o tempo que você perdeu com sua rosa que fê-la tão importante.
e) Foi o tempo que você perdeu com tua rosa que a fez tão importante.

8) UFRJ – TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL – TAQUÍGRAFO

Das afirmações abaixo, referentes ao pronome “lo”, grifado no trecho abaixo, a que se pode considerar FALSA é:
“Uns cães viram um couro mergulhado num rio. Como fora da água seria mais fácil comê-lo, começaram a beber água a fim de esvaziar o rio. Contudo, estouraram e morreram, por excesso de líquido no estômago, antes de alcançar o que desejavam.” (Da fábula Os cães famintos, de Fedro)

a) quando o verbo termina em “r”, não se emprega o pronome oblíquo enclítico o nem no (e respectivos femininos e plurais), e sim lo, la, los, las;
b) antes dos pronomes oblíquos enclíticos lo, la, los, e las, o “r” final do verbo é eliminado;
c) sempre que se elimina o “r” final do verbo, em contacto com lo e seus femininos e plurais, a última vogal do verbo recebe acento gráfico.
d) O pronome exerce a função de objeto direto;
e) Os pronomes oblíquos, nas formas lo, no (e respectivos femininos e plurais), nunca ocupam a posição proclítica.

9) UFRJ – TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL - TAQUÍGRAFO

Considerando o emprego e a colocação dos pronomes, a frase com erro é:

a) Sem mais para o momento, subscrevemo-nos com elevada consideração;
b) Em nome da transparência, informamo-lo do ocorrido;
c) Fi-lo porque foi necessário;
d) Amamo-vos mais que a nós mesmos;
e) Comunicamos-lhes que o carregamento chegará quatro horas mais tarde, em virtude de um acidente na linha férrea.

10) UFRJ – TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL – EXECUÇÃO DE MANDADOS

A opção em que é facultativa a colocação proclítica ou enclítica do pronome grifado é:

a) “A perpetuação ou aquisição da cultura é um processo social e não biológico, razão pela qual se usa, às vezes, o termo herança social em lugar de cultura”;
b) “A existência da cultura liga-se a necessidades especificamente humanas”;
c) “Como se faz esse pudim?”;
d) “A única mensagem positiva é que até 1995 o banco dava prejuízo, o que confirma o que já se sabia!” (Cartas dos Leitores, Jornal do Brasil, 30/07/1997.);
e) “É quase unânime a opinião de que se praticou uma injustiça na concessão de uma remuneração, por toda vida, de R$ 11.000,00/mês, em função de sete meses de trabalho.” (Idem, 01/08/1997.)

11) UFRJ – CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA – AUXILIAR JUDICIÁRIO

O item em que o antecedente do pronome relativo está corretamente indicado é;

e) Agora mesmo está nas telas uma risonha Regina Duarte grata à confiança que a população deposita nos Correios. ( que – Regina Duarte);
f) O festival de autocongratulação consumiu boa parte dos 120 milhões de reais que o governo (só a administração direta) gastou no ano passado.( que – festival);
g) Há muitas comparações que não deixam dúvidas sobre o que produz melhores resultados. (que – muitas);
h) ‘ ... ou muito menos para anunciar a existência de uma Ouvidoria que acolhe queixas da população contra barbaridades policiais? ( que – Ouvidoria):
i) Basta dar uma espiada no panorama nacional, em que pululam temas para campanhas ... (que – espiada).

12) EMPASIAL – TRIBUNAL DE JUSTIÇA (SP) – ESCREVENTE TÉCNICO JUDICIÁRIO

Onde o pronome está erradamente empregado?

a) fez + o = fê-lo;
b) diríamos + o = di-lo-íamos;
c) pondes + o + ponde-lo;
d) tem + no = tem-no;
e) diríeis + o = diríei-lo

13) ACCESS – TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – AGENTE ADMINISTRATIVO

Se substituirmos as palavras sublinhadas em:
1. “ ... com a aprovação dos que presenciaram a cena ...”
2. “ ... a violência começa a gerar expectativas ...”
por pronomes pessoais, as substituições corretas, de acordo com a norma culta, estarão na seguinte alternativa:

a) com a aprovação dos que presenciaram-na/a violência começa a as gerar
b) com a aprovação dos que a presenciaram/a violência começa a gerar-lhes
c) com a aprovação dos que presenciaram ela/a violência começa a gerar elas
d) com a aprovação dos que a presenciaram/a violência começa a gerá-las
e) com a aprovação dos que a presenciaram/a violência começa a gerar-las.

14) ACCESS – TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – ATENDENTE JUDICIÁRIO

De acordo com a norma culta, há ERRO no emprego do pronome sublinhado em:

a) Isto não é trabalho para eu fazer.
b) Mandei-o entrar.
c) O tempo traz consigo o esquecimento.
d) Ao avarento não lhe peço nada.
e) Vossa Excelência conseguiu realizar todos os vossos propósitos.

15) FESP – TRIBUNAL DE ALÇADA CÍVEL – AUXILIAR JUDICIÁRIO

Está incorreto o emprego do pronome em:

a) Deixarão a encomenda com nós mesmos.
b) A mim não me convém este jogo.
c) Isto é tarefa para eu fazer rápido.
d) Desejamos para si o melhor.

16) FESP – TRIBUNAL DE ALÇADA CÍVEL – AUXILIAR JUDICIÁRIO

“Deram-me, ontem, um novo endereço da loja.”
“As referências desta loja não foram boas.”
O pronome relativo que estabelece uma relação sintática entre os dois períodos, transformando-os num só, é:

e) que
f) cujas
g) quais
h) as quais

17) ACCESS - TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – OFICIAL DE JUSTIÇA AVALIADOR

De acordo com a norma culta, há ERRO no uso do pronome pessoal sublinhado em:

a) Nada houve entre eu e você.
b) Empreste o livro para eu ler.
c) É hora de eles voltarem.
d) Deixe-os entrar.
e) Basta-me a terra.

18) ACCESS – TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – OFICIAL DE JUSTIÇA AVALIADOR

De acordo com a norma culta, está INCORRETA a colocação do pronome pessoal átono em:

a) Sempre a desejou como madrinha.
b) Quando o chamaram, ficou nervoso.
c) Ninguém lhe informou o resultado.
d) Recusou o prêmio que ofereceram-lhe.
e) Os alunos não o procuraram depois da aula.

19) ACCESS – TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – AUXILIAR JUDICIÁRIO

De acordo com a norma culta, só há ERRO na colocação do pronome em:

a) Que a terra lhes seja leve!
b) Expliquei-lhe o motivo das férias.
c) Companheiros, escutai-me!
d) Lembrarei-me de alguns belos dias.
e) Nunca se adivinharia nela um anseio.

20) FESP – TRIBUNAL DE ALÇADA CRIMINAL – AUXILIAR JUDICIÁRIO

Nas passagens do texto, fez-se ao lado outra colocação dos pronomes pessoais, sublinhando-os. A passagem em que o deslocamento não se acha previsto pela norma culta é:

a) “A miséria se politizaria, passando a ...”/A miséria politizar-se-ia, passando a ...
b) “ ... numa forma de mantê-la e preservá-la.”/numa forma de a manter e a preservar
c) “ ... passa a servi-la, convertendo-se, ele próprio ...”/passa a servi-la, se convertendo, ele próprio ...
d) “Não há interesse em erradicá-las”/Não há interesse em as erradicar.
e) “ ... uma vez que estes pró-homens da miséria do povo não querem resolvê-la.”/uma vez que estes pró-homens da miséria do povo não a querem resolver.
21) FESP – TRIBUNAL DE ALÇADA CRIMINAL – AUXILIAR JUDICIÁRIO

Das alternativas abaixo, a que contém erro na substituição do que está sublinhado pelo respectivo pronome pessoal, mantida a mesma colocação, é:

a) “Na favela, tal como está organizada, reproduz-se semelhante estrutura.”/reproduz-se ela;
b) “A favela, em seu arcabouço constituinte, reproduz o sistema de produção.”/reprodu-lo;
c) “De seus becos e labirintos emergem os poderosos.”/emergem-nos;
d) “ ... uma vez que tal medida implicaria transformações sociais lesivas ao egoísmo do establishment ...”/implicá-las-ia;
e) “Os poderes vigentes entregam a favela a Zaca.”/entregam-lha.

22) FESP – CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA – AUXILIAR JUDICIÁRIO

“ ... temo que ela possa servir mais como bandeira política ...”
Transformando-se a expressão verbal da passagem acima e acrescentando-se o pronome oblíquo “lhe”, a construção inaceitável segundo a norma culta brasileira é:

a) ... que ela devesse-lhe poder servir
b) ... que ela devesse poder-lhe servir
c) ... que ela devesse poder servir-lhe
d) ... que ela lhe devesse poder servir
e) ... que ela devesse poder lhe servir

23) ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DOS SERVIDORES DA JUSTIÇA – TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – TÉCNICO JUDICIÁRIO

“ ... permitindo aos súditos de Sua Majestade Britânica ...” Que forma de tratamento abaixo está corretamente abreviada?

a) Vossas Majestades – V. MM.
b) Sua Senhoria – S. S.
c) Vossa Magnificência – V. M.
d) Vossa Alteza – V. Alt.
e) Vossa Excelência – V. Exª
24) FESP – TÉCNICO EM RADIOLOGIA

Marque a opção cuja colocação do pronome sublinhado obedece à norma culta.

a) As universidades já têm cursos especiais para alunos de Terceira Idade que se querem reciclar.
b) A diferença para as turmas convencionais é uma só: ninguém submete-se a provas e exames.
c) Os meninos nunca deram-se a oportunidade de cantar coisa mais elaborada.
d) Se pode correr 100 metros em cinco segundo quando se é um atleta.
e) Farão-se as garantias da pesquisa para que os resultados sejam bons.

25) FESP – TRIBUNAL DE ALÇADA CRIMINAL – ATENDENTE JUDICIÁRIO

Nas passagens abaixo, aquela em que o pronome sublinhado admite outra colocação na frase, segundo a norma culta, é:

a) “Criou-se entre nós a idéia equivocada de que um homem só está bem vestido ...”
b) “Os defensores incondicionais do terno se esquecem de que sua elegância fica seriamente comprometida ...”
c) “Não se trata de uma apologia às bermudas ...”
d) “Venham justamente de quem, no exercício de suas atividades diárias, se vê obrigado a usar as togas ...”
e) “Abaixo a gravata, essa argola no beiço dos que se dizem civilizados.”

26) FESP – TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL – TÉCNICO JUDICIÁRIO – ÁREA FIM

O pronome lhe tem valor possessivo na seguinte alternativa:

a) João lhe pediu desculpas.
b) Admiro-lhe a inteligência penetrante.
c) O porteiro entregou-lhe as cartas do inquilino.
d) Depois da ameaça, o funcionário obedeceu-lhe.
e) O chefe deu-lhe instruções precisas sobre o projeto.

27) FESP – TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL – TÉCNICO JUDICIÁRIO – ÁREA FIM

De acordo com a norma culta, há erro na colocação do pronome sublinhado na seguinte alternativa:

a) A paz lhes seja concedida.
b) O júri vai entregar-lhe o prêmio amanhã.
c) Não lembrarei-me nunca do que você disse.
d) Eu já tinha lido aqueles livros que me deram.
e) O professor disse-nos que não haveria mais tempo.

28) UERJ – AGENTE DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA

É comum o uso de abreviaturas ao endereçar-se a correspondência oficial.
Considerando-se o endereçamento:

Exmº. Sr.
Dr. João de Souza
DD. Procurador Geral ...

devemos entender o “DD.” Como

a) doutor
b) distinto
c) digníssimo
d) destinatário
e) decodificador

29) TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL – MG – TÉCNICO JUDICIÁRIO – ÁREA MEIO

Assinale a opção em que a colocação do pronome oblíquo está INCORRETA quanto à norma culta da língua:

a) Não pude dar-lhe os cumprimentos, por estar fora da cidade.
b) Agora tem-se dado muito apoio técnico ao pequeno empresário.
c) Ter-lhe-íamos pedido ajuda, se o víssemos antes do resultado.
d) Como me propiciou momentos agradáveis, fui bastante paciente.
e) Quem o levará a tomar decisões tão importantes para o País?

30) COVEPE – FISCAL DE ICMS – SANTA CATARINA

Assinale a alternativa onde o pronome pessoal está empregado corretamente:

a) Para mim, viajar de avião é um suplício;
b) Este é um problema para mim resolver;
c) Entre eu e tu não há mais nada;
d) A questão deve ser resolvida por eu e você.

31) COVEPE – FISCAL DE ICMS – SANTA CATARINA

Coloque o pronome no final, no espaço correto.

1. Jamais _____ esqueço _____ de você. (me)
2. O rapaz _____ levantando _____ fez uma pergunta. (se)
3. _____ devolve _____ o livro que te emprestei. (me)
4. Estou a _____ contar _____ uma coisa importante. (lhe)
5. Gostaria de saber quem _____ contou _____ tal fato. (te)

A colocação adequada, de cima para baixo, é a seguinte:

a) me esqueço, se levantando, me devolve, contar-lhe, te contou;
b) esqueço-me, levantando-me, devolve-me, lhe contar, te contou;
c) me esqueço, levantando-se, devolve-me, contar-lhe, te contou;
d) me esqueço, levantando-se, devolve-me, contar-lhe, contou-te;
e) esqueço-me, se levantando, me devolve, contar-lhe, contou-te.

32) TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL – MG – AUXILIAR JUDICIÁRIO

Assinale a opção em que a colocação do pronome sublinhado esteja correta, segundo o registro escrito culto:

a) Os vizinhos haviam pedido-me muita atenção ao atravessar a rua.
b) Mesmo considerando que éramos famosos, ninguém veio receber-nos.
c) Fariam-me um grande favor não contando as novidades a meus pais.
d) Pelo que pudemos entender, ninguém vai-nos denunciar ao delegado.
e) O aluno logo interessou-se pelo assunto, assim que a argüição começou.

33) FESP – TRIBUNAL DE ALÇADA CÍVEL – ATENDENTE JUDICIÁRIO

O pronome relativo foi usado erradamente na seguinte frase:

a) Reconheceu as lojas, a qual lhe indicaram.
b) Vê-lo feliz e radiante é tudo quanto desejo.
c) Saberei hoje a sala onde farei prova.
d) Senti, na hora, o que aconteceu.

34) CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO – TAQUÍGRAFO LEGISLATIVO

Em: “É consenso nacional a necessidade de levar a educação formal e não formal a todos os brasileiros. O que se discute é como, em situação tão adversa, fazer isso: através de que meios e quais objetivos e propostas educacionais viabilizar primeiro.” O pronome sublinhado refere-se a um elemento presente anteriormente no texto: “ ... levar a educação formal e não formal a todos os brasileiros”. Diz-se que, nesse caso, o pronome tem valor dêitico.
Em que item a seguir, a palavra sublinhada não tem esse mesmo valor?

a) “É consenso nacional a necessidade de levar a educação formal e não formal a todos os brasileiros. O que se discute é como, em situação tão adversa, fazer isso: através de que meios e quais objetivos e propostas educacionais viabilizar primeiro. Os meios de comunicação e as novas tecnologias da informação, sem dúvida têm um papel a desempenhar aí.”
b) “Assim como o relógio e a máquina a vapor mudaram a vida das pessoas nos séculos XVII e XVIII, alterando completamente a relação que elas tinham com o tempo, ...”
c) “Assim como o relógio e a máquina a vapor mudaram a vida das pessoas nos séculos XVII e XVIII, alterando completamente a relação que elas tinham com o tempo, interferindo na organização de seus afazeres diários, ...”
d) “As salas de aula estão cheias de crianças e jovens que passam boa parte de seu tempo em contacto com mundos diversos que chegam a eles através dos noticiários ...”
e) “Não há receitas mágicas que respondam e indiquem a fórmula para resolver tais questões. No entanto, acumulou-se certa experiência para sabermos quais caminhos não deveriam ser tomados.”

35) FUNDAÇÃO JOÃO GOULART – CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

O emprego do pronome de tratamento está correto em:

a) Sua Meritíssima, Professor Carlos Silva, Reitor da Universidade do Estado X, não poderá comparecer à próxima sessão plenária.
b) Sua Eminência, o Papa Paulo VI, encontrava-se acamado no último fim de semana.
c) Sua Senhoria Reverendíssima, o Cardeal de Ouro Preto, nos visitará no próximo Domingo.
d) Sua Excelência, o Presidente da Fundação João Goulart, participou da mesa redonda de ontem.
e) Suas Excelências Reverendíssimas, o Bispo de Santarém e o Arcebispo de Recife, aguardam o início da cerimônia no Salão Grená.

36) FESP – FISCAL DE TRIBUTOS – PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABORAÍ

Observe a frase abaixo:

Se é para _____ falar o que penso, creio que a escolha deve ser feita entre _____ e _____.
Segundo a norma culta, os pronomes que completam adequadamente as lacunas são, respectivamente:

a) eu / mim e ti
b) eu / mim e tu
c) mim / eu e tu
d) mim / eu e ti
e) eu / eu e tu

37) VUNESP – AGENTE FISCAL DE RENDAS – SÃO PAULO

Assinale a alternativa em que os emprego do pronome relativo “onde” obedece aos princípios da língua culta escrita.

a) Os fonemas de uma língua costumam ser representados por uma série de sinais gráficos denominados letras, onde o conjunto delas forma a palavra.
b) Todos ficam aflitos no momento da apuração, onde será conhecida a escola campeã.
c) Foi discutida a pequena carga horária de aulas de Cálculo e Física, onde todos concordaram e desejam mais aulas.
d) Não se pode ferir um direito constitucional onde visa a garantir a educação pública e gratuita para todos.
e) Não se descobriu o esconderijo onde os sequestradores o deixaram durante esses meses todos.

38) CESGRANRIO – TELERJ – AGENTE ADMINISTRATIVO

Assinale a opção em que o emprego dos pronomes pessoais está de acordo com a norma culta da língua.

a) Entre o chefe e eu há confiança mútua.
b) Para mim vencer na empresa é fundamental.
c) Vim falar consigo sobre o debate de amanhã.
d) Já lhe avisei do ocorrido na empresa.
e) Esta linha telefônica vai de mim a ti.

39) CESGRANRIO – TELERJ – AGENTE ADMINISTRATIVO

Marque a opção INCORRETA quanto à colocação pronominal:

a) Seria-nos conveniente assinar o acordo hoje.
b) Nada se fez por ele.
c) Vocês podem dizer-me a verdade.
d) Amanhã, contar-lhe-ei as novidades.
e) Quando a viu vencer, desmaiou.

40) CESGRANRIO – PETROBRÁS – NÍVEL MÉDIO

Assinale a opção em que o pronome pessoal está mal empregado, de acordo com a norma culta da língua.

a) O erro foi mandá-los à passeata estudantil.
b) Tudo que lhe servia de inspiração, desapareceu.
c) Faltou-te uma nova oportunidade para entendê-lo.
d) Nada agrada-lhe quando está de mau humor.
e) A custo, apoiando-se na defesa de seu ponto de vista, conseguiu o emprego.

41) FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS – TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL – AUXILIAR JUDICIÁRIO

_________ as novas condições exigidas pelo programador, antes que outros __________.

a) expusemos-lhes - o fizessem
b) expusemo-lhes - fizessem-no
c) expusemos-lhes - fizessem-o
d) expusemo-lhes - fizessem-lo
e) expusemo-lhes - o fizessem

42) CEFOR – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA LEGISLATIVO

É construção pronominal condenável pela norma culta da língua:

a) É necessário que os indivíduos compreendam a si mesmos.
b) Comunicação é o entendimento dos indivíduos entre si mesmos.
c) Os indivíduos devem se entender consigo próprios.
d) É imperioso que nos comuniquemos conosco mesmos.
e) O homem deve ser capaz de dialogar consigo próprio.

43) UNB – CÂMARA DOS DEPUTADOS – TAQUÍGRAFO DE DEBATES

Indique a alternativa em que os vocábulos preenchem corretamente as lacunas do fragmento de texto:

Entre ______ ir com vocês ou ficar na floresta, escolho a segunda opção – disse o urubu ao canário – já que entre ______ e os canários não há afinidades. Ainda assim, quando partires, leva ______ a certeza de que, para ______, decidir não foi tarefa das mais fáceis.

a) eu / mim / com você / mim;
b) eu / eu / com você / eu;
c) mim / eu / contigo / eu;
d) mim / mim / com você / eu;
e) eu / mim / contigo / mim.

44) UFRJ – CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO – ASSESSOR TÉCNICO PARLAMENTAR

A frase em que NÃO se observou uma recomendação referente à colocação dos pronomes oblíquos átonos é:

a) Sempre pareceu-nos que esse projeto não teria êxito;
b) Os dois marujos que ficaram no Brasil nunca se tornaram índios.
c) Naquele momento, iniciou-se o povoamento do Brasil.
d) A consideração com que me trataram foi para mim o ponto alto da reunião.
e) Os falantes do português se tornaram maioria no litoral brasileiro.

45) UFRJ – CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO – ASSESSOR TÉCNICO PARLAMENTAR

A colocação proclítica ou enclítica do pronome oblíquo é facultativa na frase:

a) Essa medida nos proporcionou uma qualidade de vida melhor.
b) Abrigaremos nessa casa as pessoas que se encontrarem em apuros.
c) Não se poupariam esforços nesse sentido.
d) Atravessaram por entre as árvores, sem que ninguém se desse conta disso.
e) “ ... certa auréola que te faz divina!” (Cruz e Souza).

46) UFRJ – CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO – ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

Observando as recomendações quanto à colocação dos pronomes oblíquos átonos, pode-se afirmar que está correta a frase:

a) O dinheiro que entreguei-lhe era meu.
b) No curso de Pedagogia estudaria-se provavelmente História da Educação.
c) Nunca engamo-nos a esse respeito.
d) Em tempos de vagas magras, compra-se o indispensável.
e) Caso procurem-me, diga que viajei.
47) UFRJ – CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO – REDATOR REVISOR

Consoante as normas da língua culta vigente, o pronome átono está colocado com ERRO em:

a) As reuniões tornavam-se eventos de grande repercussão.
b) As reuniões se tornavam eventos de grande repercussão.
c) As reuniões se tornariam eventos de grande repercussão.
d) As reuniões tornariam-se eventos de grande repercussão.
e) As reuniões tornar-se-ão eventos de grande repercussão.

48) UFRJ – CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA – OFICIAL DE JUSTIÇA AVALIADOR

atiram-se-vos, acusam-no são formas corretas de uso de pronomes; em que item a seguir o uso do pronome não obedece às normas vigentes?

a) Ter-lhe-iam falado a meu respeito?
b) Tenho prevenido-o várias vezes;
c) Quem nos dará razão?;
d) Nunca nos diriam inverdades;
e) Haviam-no procurado por toda a parte.

49) UFRJ – CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA – TÉCNICO JUDICIÁRIO JURAMENTADO

Assinale a correspondência de tratamento / pessoa equivocada:

a) Vossa Magnificência – reitores de universidades;
b) Vossa Alteza – príncipes;
c) Vossa Santidade – bispos;
d) Vossa Eminência – cardeais;
e) Vossa Excelência – altas autoridades civis.

50) UFRJ – CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA – ATIVIDADES NOTARIAIS E DE REGISTRO

planejá-la é uma forma verbal com pronome enclítico; a forma que assumiria esse mesmo verbo no futuro do presente do indicativo com pronome mesoclítico, seria:

a) planeja-la-á;
b) planejá-la-á;
c) planejá-la-ia;
d) planejá-la-a;
e) planejar-la-á.

51) UFRJ – TRIBUNAL DE ALÇADA CRIMINAL – TÉCNICO JUDICIÁRIO

Assinale dentre as alternativas apresentadas a seguir o único deslocamento do pronome átono que seria considerado incorreto segundo os gramáticos normativos tradicionais.

a) “ [ ... ] ou o que se determine pelo uso outorgado.” (Art. 1250)
[ ... ] ou o que determine-se pelo uso outorgado.
b) “ [ ... ] não podendo usá-la senão de acordo com o contrato, [ ... ]” (Art. 1251)
[ ... ] não a podendo usar senão de acordo com o contrato, [ ... ]
c) “ [ ... ], ainda que se possa atribuir a caso fortuito, [ ... ]” (Art. 1253)
[ ... ], ainda que possa atribuir-se a caso fortuito, [ ... ]
d) “Se o menor, estando ausente essa pessoa, se viu obrigado a contrair [ ... ]” (Art. 1260, II)
Se o menor, estando ausente essa pessoa, viu-se obrigado a contrair [ ... ]
e) “ [ ... ]. Mas, em tal caso, a execução do credor não lhes poderá ultrapassar [ ... ]” (Art. 1260, III)
[ ... ]. Mas, em tal caso, a execução do credor não poderá ultrapassar-lhes [ ... ]

52) UFRJ – TRIBUNAL DE ALÇADA CRIMINAL – TÉCNICO JUDICIÁRIO

Alguns termos desfrutam de certa flexibilidade posicional no interior das construções de que participam. Levando em conta as estruturas presentes nos textos de Machado de Assis, assinale dentre as alternativas a seguir aquela em que o deslocamento não é recomendado pelos gramáticos normativos tradicionais.

a) “que vos deram” / que deram-vos;
b) “gosto de conhecer-vos” / gosto de vos conhecer;
c) “recebi e agradeço-vos /recebi e vos agradeço;
d) “a mim entregue” / entregue a mim;
e) “incumbiu-me” / me incumbiu.

53) UFRJ – TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – ANALISTA JUDICIÁRIO

A frase em que, segundo o uso culto escrito, são lícitas tanto a próclise quanto a ênclise do pronome oblíquo átono é:

a) “afoga-se o corpo em álcool e gordura”;
b) “no ato de se empanturrar à mesa”;
c) “Mudemos nós e o Natal”;
d) “Aquele que se fez pão e vinho”;
e) “Deixemo-nos, como Maria, engravidar”.

54) UFRJ – TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL – SEM ESPECIALIDADE

De acordo com a norma culta, o resultado da substituição do termo grifado no trecho a seguir por um pronome oblíquo seria: “Vi e suportei os sofrimentos das tropas e não posso mais contribuir para prolongar esses sofrimentos:

a) para prolongá-los;
b) para lhes prolongar;
c) para prolongar eles;
d) para prolonga-los;
e) para prolongar-lhes.

55) EMPASIAL – OFICIAL DE JUSTIÇA – SÃO PAULO (CAPITAL)

Indique a colocação indevida do pronome oblíquo:

a) Vou-te vendo.
b) Não convidar-te-ei desta vez.
c) Dais-vos clemência.
d) Aqui, trabalha-se.
e) Dize-lo primeiramente.

56) EMPASIAL – OFICIAL DE JUSTIÇA – SÃO PAULO (CAPITAL)

Sobre os pronomes de tratamento é errado dizer que:

a) são certas palavras e locuções que valem por verdadeiros pronomes pessoais;
b) levam o verbo para a 3ª pessoa, embora designem a pessoa a quem se fala (isto é, a 2ª);
c) não admitem artigo (consequentemente crase), exceto Senhor, Senhora e Senhorita;
d) exigem o pronome na 3ª pessoa do singular, bem como adjetivo e particípio concordando com o sexo da pessoa;
e) deve-se empregar Vossa para a pessoa de quem se fala, e Sua para a pessoa com quem se fala.

57) ÙNB – SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA – TÉCNICO JUDICIÁRIO – ÁREA FIM

Assinale a opção em que há erro de colocação pronominal, de acordo com a norma culta.

a) A primeira refere-se aos atuais mecanismos públicos e particulares.
b) São os elementos essenciais da vida, os quais não têm-nos dado a desejada segurança.
c) Consiste em nossa fraqueza de opormo-nos a uma espécie de movimento neo-feudal.
d) A sociedade mostra-se perplexa com seu ajuste à eletrônica.
e) O Estado não se mostra apto para encontrar soluções.

58) UNB – MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO – NÍVEL TÉCNICO – ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: ADMINISTRATIVA

Observe o fragmento:
“Mas o que me leva a crer no desaparecimento do bem-te-vi são as mudanças que começo a observar na sua voz. O ano passado, aqui nas mangueiras dos meus simpáticos vizinhos, apareceu um bem-te-vi caprichoso, muito moderno, que se recusava a articular as três sílabas tradicionais do seu nome. Limitava-se a gritar: ‘ ... te vi! ... te vi! ... ’ com a maior irreverência gramatical.”
Cecília Meireles

Em “Limitava-se a gritar: ‘ ... te vi! ... te vi! ... ’ com a maior irreverência gramatical.”, a autora refere-se:

a) ao uso da linguagem coloquial;
b) ao uso indevido da pontuação;
c) à colocação do pronome em próclise;
d) à colocação do pronome em ênclise;
e) à articulação incorreta do bem-te-vi.

59) EMPASIAL – TRIBUNAL DE JUSTIÇA (SP) – ESCREVENTE TÉCNICO JUDICIÁRIO

Enumere a segunda coluna de acordo com a abreviatura da forma de tratamento adequada:
1. V. Exª Rev.ma ( ) reitor de univer-sidade
2. V. Mag.a ( ) papa
3. V. Em.a ( ) bispo e cardeal
4. V. S. ( ) cardeal

a) 1 – 4 – 3 – 2;
b) 2 – 4 – 1 – 3;
c) 3 – 4 – 2 – 1;
d) 4 – 2 – 3 – 1;
e) 2 – 4 – 3 – 1;

60) UNB – MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO – TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS

“De fato, o poder deste cargo é tamanho que será difícil encontrar um brasileiro adulto que não se tenha posto no seu lugar e vestido a camisa para imaginar como seria a sua seleção ... ”
Roberto da Matta.
Ensaios de sociologia interativa. 1986.

Em “que não se tenha posto no seu lugar”, há a próclise devido à existência de pronome átono

a) iniciando período.
b) em oração subordinada com verbo flexionado.
c) em oração iniciada por palavra exclamativa.
d) em expressões cristalizadas de cunho popular.
e) em oração com verbo modificado, sem pausa, por advérbio.

GABARITO

01) D 02) C 03) C 04) A 05) C
06) D 07) A 08) C 09) D 10) B
11) D 12) E 13) D 14) E 15) E
16) B 17) A 18) D 19) D 20) C
21) A 22) E 23) E 24) A 25) B
26) B 27) C 28) C 29) B 30) A
31) C 32) B 33) A 34) E 35) E
36) A 37) E 38) E 39) A 40) D
41) A 42) D 43) E 44) A 45) A
46) E 47) D 48) B 49) C 50) B
51) A 52) A 53) B 54) A 55) B
56) E 57) B 58) C 59) E 60) B

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário